Jacohrangers

Jacohrangers

domingo, 11 de novembro de 2012

EPISÓDIO 20 - O ATAQUE OFENSIVO DO GENERAL KRER


EPISÓDIO 20 – O ATAQUE OFENSIVO DO GENERAL KRER

NO CAPÍTULO ANTERIOR DE JACOHRANGERS:

- O USO DE UMA BAZUCA IMPROVISADA, SOMADO À DESATENÇÃO DOS VILÕES QUANTO AO HORÁRIO DE VERÃO, IMPEDE QUE CRIANÇAS INOCENTES PADEÇAM.
- JAPA SE VÊ OBRIGADO A RECORRER A TRUQUES INFANTILÓIDES PARA SOBREVIVER, MAS, AO MENOS, AUMENTA SEUS PODERES.

O QUE IRÁ ACONTECER?

A música estava no último volume. A letra dizia “Lua de cristal, que me faz sonhar. Faz de mim estrela, que eu já sei brilhar”. Mestre Jacoh cantava, pulava, gesticulava, dançava e improvisava um microfone com um frasco de desodorante vencido, mas tudo acabou quando ele tropeçou em um fio e o aparelho se desconectou da tomada.
O sábio mestre se recompôs e começou a ajeitar as almofadas jogadas pelo chão. Foi até a janela e reparou que a filha de um dos vizinhos (uma linda garotinha de oito anos) havia visto tudo o que ele fizera nos últimos minutos. Constrangido, fechou rapidamente as persianas. Em meio à arrumação do quarto, assuntos sérios começaram a povoar seus pensamentos.

- As últimas batalhas têm sido muito difíceis. O inimigo está cada vez mais violento e as lutas estão cada vez mais freqüentes. Ainda não encontrei tempo para ter “aquela” conversa com os Jacohrangers. Será que conseguirei fazer isso ainda hoje, quando eles voltarem?

Por algum motivo, era difícil não ter um mau pressentimento sobre tudo aquilo.

***

Japa caminhava. Seu destino era o quartel-general dos Jacohrangers, onde iria rever seus amigos, ajudá-los a combater o mal e tentar roubar Paty de João. Desculpar-se-ia com eles, se fosse o caso, mas finalmente deixaria de ser atacado sem ter ninguém para ajudá-lo a lutar.
O grande desafio era chegar até lá vivo. Soldados Krur o viram e começaram a perseguí-lo. Eram poucos, apenas cinco, mas suficientes para derrotá-lo, levando em conta seu cansaço, fraqueza, indisposição e estado físico. Ainda sentia as dores dos recentes golpes recebidos. Não estava em condições de lutar.
A perseguição era terrível. Japa não conseguia correr tanto quanto as circunstâncias exigiam mesmo estando transformado. Sabia que mais cedo ou mais tarde seria alcançado e que o combate era quase que inevitável. Não teria forças para lutar e seria morto. Não chegaria ao quartel-general a tempo de mostrar seu valor. Não reveria seus amigos, não conquistaria o coração de Paty, não poderia testar algumas funcionalidades recém-descobertas de seu celular ultra-tecnológico.
Quando estava prestes a ser alcançado, o Jacohranger azul se atirou ao chão e gritou “Morri de novo!”. Ficou alguns minutos imóveis e contou com a credulidade vergonhosa dos soldados Krur. As estúpidas criaturas invasoras acreditaram e se afastaram dele, voltando ao quartel-general do Império Krar.
Só mais tarde é que Japa pôde levantar-se sem medo de ser descoberto pelos inimigos. Seguiu então sua marcha incansável.

***

Os Jacohrangers repousavam em seu quartel-general. Os minúsculos recursos que tinham para curar ferimentos estavam sendo fartamente empregados. Todos se encontravam exaustos, feridos, enfraquecidos, suados, fedidos, febris, mal-vestidos, mal-humorados, despenteados e exalando cheiro de excremento.
Enquanto contemplava a recuperação lenta de seus pupilos, Mestre Jacoh tentava criar coragem para dizer-lhes algumas verdades que eles tinham direito de saber. Verdades que não podiam mais ser escondidas.

- Pessoal, é o seguinte – o mestre começou – Preciso que me ouçam com atenção, pois tenho algo importantíssimo a lhes contar.
- Tem algo a ver com os pôsteres novos de cantoras seminuas que o senhor colou na parte interna da porta de seu guarda-roupa? – perguntou Ruivão.
- Tem algo a ver com as estranhas manchas que encontramos em seus lençóis após o senhor ter assistido filmes eróticos na noite retrasada? – questionou Negão.
- Ou, quem sabe, algo a ver com aquelas suas fotos do carnaval passado que encontramos, nas quais o senhor estava vestido de mulher? – sugeriu Paty.
- Ou o senhor quer nos perguntar se já chegou pelos correios a confirmação de sua inscrição para o campeonato de cosplay dos Ursinhos Carinhosos? – era Polaco.
- Ou o senhor quer nos revelar que por usarmos os trajes de Jacohrangers, só poderemos continuar na terra por um curto período de tempo e, depois disso, teremos que ir para o seu planeta de origem, o planeta Jacoh? – disse João.

Antes que o mestre respondesse, o alarme soou.

- Mexam-se, inúteis! Mexam-se!

Uma transmissão do General Krer invadiu os monitores, desafiando os Jacohrangers para um confronto em uma das praças principais de Cidadopolislândia. Havia algo diferente na aparência do inimigo: parecia mais violento, mais bestial. Não havia dúvidas: ele estava muito mais forte que nos confrontos anteriores.

- Hora de Jacohmbater o mal! – todos bradaram.

***

General Krer estava sozinho. Não tinha com ele os desagradáveis soldados Krur, nem nenhum monstro. O outro general, Krir, também não estava lá. Aparentemente, ele lutaria realmente sozinho. Tinha nos lábios disformes e sujos de baba um sorriso de confiança.

- Bem-vindos, Jacohrangers! Escolhi esse lugar com muito carinho, porque aqui será o túmulo de vocês!
- Ficamos agradecidos por se preocupar com isso – disse Ruivão – Mas acredito que Negão já tenha plano funeral. Além disso, você nem sabe quando morreremos.
- Ruivão, ele quis dizer que vai nos matar aqui e agora – esclareceu Paty.

Antes que o Jacohranger vermelho expressasse sua surpresa, o general maligno avançou velozmente e desferiu um violento soco. O líder dos heróis foi arremessado a metros de distância. Os demais defensores da justiça invocaram suas armas e prepararam-se.
O amarelo atacou, atacou e atacou, sempre encontrando defesa na nova espada do general invasor. Polaco recebeu alguns contra-ataques, mas não chegou a se ferir gravemente. A heroína que vestia rosa disparou seus projéteis, dos quais Krer se desviou sem grande esforço. O Jacohranger verde e o preto tentaram um ataque combinado. Feriram um pouco seu inimigo, mas foram muito mais golpeados pelas investidas dele.
O Jacohranger vermelho e o General maligno brandiram suas espadas. O aço das lâminas quebrou o silêncio. Ambos mesclavam ataque e defesa em manobras ousadas e violentas, mesclando socos, chutes e cusparadas às investidas com as armas. A força de ambos parecia equivalente, até que Krer parou de usar a mão esquerda para coçar o queixo. Cinco segundos depois, Ruivão estava no chão agonizando.

- Como vêem, é impossível me vencer! Impossível!

E mais ataques velozes vieram, ferindo mais e mais os já enfraquecidos heróis.

- Sua ridícula bazuca improvisada não me vencerá, por isso nem pensem em usá-la.

   Os cinco Jacohrangers improvisaram uma formação de semicírculo e atacaram com uma coreografia que nunca haviam ensaiado. Até conseguiram ferir um pouco o General Krer, mas não o bastante. E logo veio o contra-ataque dele. Violentos raios saíram da lâmina da espada dele, gerando uma grande explosão.
Quando a poeira baixou, os Jacohrangers se encontravam prestes a perder os sentidos, no chão, destransformados. O poder das lentes de contato multicoloridas não resistiu aos ferimentos intensos. Parecia ser o fim. Mas, antes disso, o General Krer decidiu se vangloriar.

- Miseráveis! Por muito tempo vocês atrapalharam os planos de conquista do grande Império Krar. Mas agora, eu os derrotei, sem grande esforço. Enquanto isso, saibam que o monstro Kroroitavo, portador de uma terrível peste, está em algum lugar dessa cidade suja, contaminando os seres humanos. Assim, após o fim de vocês, teremos também o fim de toda a vida na terra.
- Temos que fazer alguma coisa. De preferência, mais do que apenas ficar aqui agonizando e esperando por um milagre! – murmurou o Jacohranger verde.

General Krer aproximava-se dos heróis caídos para desferir o golpe final, quando ouviu passos. E uma voz decidida.

- Não se aproxime de meus amigos. É comigo que você vai lutar!

Era Japa, o Jacohranger azul.

- Ora, ora. Parece que os seis Jacohrangers finalmente estão reunidos novamente. Pois aproveitarei para mandar todos juntos para o inferno.

- PELA MILIONÉSIMA VEZ, OS JACOHRANGERS ESTÃO ENFRAQUECIDOS E PRESTES A SEREM DERROTADOS!
- AFINAL, O QUE O MESTRE JACOH TEM PARA REVELAR E QUAL O IMPACTO QUE ISSO TERÁ PARA OS HERÓIS?

NÃO PERCAM NO PRÓXIMO CAPÍTULO DE JACOHRANGERS!

Um comentário: