Jacohrangers

Jacohrangers

domingo, 18 de novembro de 2012

EPISÓDIO 21 - GRANDE REVELAÇÃO! OS SEIS JACOHRANGERS LUTAM JUNTOS


EPISÓDIO 21 – GRANDE REVELAÇÃO! OS SEIS JACOHRANGERS LUTAM JUNTOS!

NO CAPÍTULO ANTERIOR DOS JACOHRANGERS:

- JAPA É OBRIGADO A SE FINGIR DE MORTO CENTENAS DE VEZES PARA ESCAPAR DE SEUS INIMIGOS.
- FINALMENTE VEM À TONA A CONSTRANGEDORA HISTÓRIA QUE RELATA QUE, NO CARNAVAL PASSADO, MESTRE JACOH SE VESTIU DE MULHER (E, POR ALGUMAS HORAS, PASSOU A SE CHAMAR JACOHZILDA).

O QUE IRÁ ACONTECER?

Mestre Jacoh acompanhava pelos monitores do quartel-general o confronto entre os Jacohrangers e o General Krer. Independentemente do resultado do confronto, os seis heróis estavam novamente juntos, tornando aquilo uma ótima oportunidade para que finalmente fosse feita a grande revelação.
“Não será perigoso revelar algo tão importante na frente de um vilão? Mas e se os Jacohrangers forem derrotados? A informação que tenho para lhes passar pode fazer toda a diferença”. Mestre Jacoh se remoia de dúvida, indecisão, insegurança, hesitação e covardia. Decidiu então fazer uso de suas habilidades nunca antes reveladas de telepatia. Ele abriria um canal de comunicação diretamente com a mente de Ruivão, possibilitando que ambos conversassem livremente.
Ruivão era o líder do grupo, aquele que sempre tinha algo inteligente a dizer, alguma consideração sensata a fazer, algum conselho sábio a oferecer. Certamente ele saberia dizer qual o caminho certo a seguir.

“Ruivão, sou eu. O Mestre Jacoh. Estou usando minhas habilidades extra-psíquicas-sensoriais-telepáticas para que possamos nos comunicar”.
“Que legal, mestre! Um dia o senhor me ensina a fazer isso?”.
“Talvez. Agora preste atenção: tenho algo importantíssimo a contar para vocês, algo que não pode esperar. Mas sei que vocês estão no meio de uma batalha, por isso quero sua opinião: eu devo ir até aí?”.
“Se o senhor vier, depois terá que voltar. Por que não volta primeiro, para depois vir? Assim não terá que voltar quando chegar aqui”.

Mestre Jacoh encerrou a comunicação telepática e emitiu um suspiro de desânimo.

***

- Hora de Jacohmbater o mal!

O seis heróis estavam novamente transformados. Resfolegavam e gemiam baixinho pela dor de seus ferimentos, mas ao menos estavam unidos outra vez. Como uma equipe. E não pretendiam perder.

- Chegou a hora de acabar com você, General Mulher! – bradou Ruivão.
- Krer! Meu nome é Krer!
- Seu nome não é o mais importante! O fato é que separados somos fortes. Juntos somos os JACOHRANGERS!

O vermelho, o azul e o verde partiram sem piedade para cima do inimigo. Atacaram com seus punhos, suas pernas, suas armas, seu ódio, mas, sobretudo, atacaram com seus corações. O General Krer respondeu à altura, com golpes ferozes e velozes. O som das armas rasgando os trajes metálicos tomou de assalto o ambiente.
O preto, o amarelo e a rosa também tomaram parte no confronto, usando igualmente o ódio em seus corações como arma. Aos poucos, o inimigo foi se ferindo mais e mais, até cair ensangüentado no chão.

- Agora que somos seis, poderemos usar a “bazuca sem nome” com um poder de destruição muito maior! – gritou o Jacohranger preto.
- Ainda não fui completamente derrotado – o General respondeu – Tenho como último recurso meu mais poderoso ataque: o Super Raio Krerzístico!
 - Na verdade, lembro de você ter comentado que o monstro Kroroitavo está em algum lugar da cidade espalhando uma doença – disse o herói que trajava verde – Acho que deveríamos deixar você falando sozinho e ir combater a vil criatura que ameaça a paz em nossa cidade.
- Boa idéia! – gritaram juntos todos os demais.

E todos correram até um local de onde vinha uma grande gritaria, sem dar importância ao general maligno, que sumiu prometendo voltar para se vingar. Dez minutos depois, os Jacohrangers encontraram um rastro de pessoas desmaiadas sobre as calçadas, com os rostos com manchas esverdeadas e cuspindo sangue.

- São vítimas do monstro! – gritou o Jacohranger amarelo.
- Não podemos deixar de atribuir parte da culpa ao insatisfatório sistema público de saúde de nossa cidade – acrescentou o vermelho.
- Mas onde está o monstro? – perguntou o azul.
- Ali! – gritou a rosa, apontando para uma esquina longínqua onde caminhava uma terrível criatura.

Kroroitavo tem formato humanóide, mas seu corpo era revestido por uma estranha sobreposição de placas feitas de algum tipo de metal super resistente. Na mão ele tinha uma espada. No pé, um tridente, mas logo o chutou para não tropeçar pela quinta vez. A criatura urrava algo incompreensível, como que desafiando os heróis a derrotá-lo.
Os Jacohrangers avançaram até onde o monstro se encontrava e urraram em resposta. Ainda feridos, ainda cansados, mas confiantes. Antes que o confronto de fato se iniciasse, o herói de armadura preta tomou uma estranha iniciativa.
  
- Golpe de vista! – gritou ele.

Um estranho raio saiu de seus olhos, explodindo contra o peito do monstro.

- Sai um golpe das minhas vistas, por isso eu decidi chamar de “golpe de vista”! – ele explicou.

Os demais Jacohrangers perceberam que também tinham a mesma capacidade e desferiram os raios também, apenas alterando o nome de cada golpe. Ruivão chamou o seu de “Ataque da córnea assassina”, Japa de “Raio dos olhinhos puxados”, João de “Energia vesga”, Polaco de “Veja isso!” e Paty de “Olhar fatal de poder ampliado pelo delineador cuidadosamente escolhido”.
Kroroitavo caiu. Cuspia uma gosma esverdeada, com a qual contaminava suas vítimas. Levantou-se com muito esforço, mas ficava claro que não podia vencer os Jacohrangers quando seus seis integrantes lutavam juntos. Era uma questão de tempo para que fosse derrotado.

- Bazuca sem nome! – todos gritaram.

Uma gigantesca quantidade de energia explodiu o monstro em doze mil, quinhentos e quarenta e dois pedacinhos. Antes que os seis heróis vibrassem com seu triunfo, ouviram uma voz maligna e imponente que declarava que a batalha ainda não tinha sido vencida.

- Raio agigantador!

E Kroroitavo foi revivido, adquirindo a altura de aproximadamente cinqüenta e três metros, oitenta e quatro centímetros e nove milímetros. A criatura voltou a urrar, e chutou meia dúzia de carros que estavam estacionados em vagas destinadas a portadores de deficiência. Antes que pudesse fazer mais que isso, o Gigante Guerreiro Jacohlossal surgiu.

- Míssil Jacohlossal! – os seis gritaram.

Kroroitavo foi atingido. Cada vez que o monstro tentava se aproximar, a fim de ter uma batalha “corpo-a-corpo”, os Jacohrangers lançavam algum ataque à distância. E assim, a criatura foi sendo mais e mais enfraquecida. O Gigante Guerreiro Jacohlossal revelou até a existência de um golpe até então inédito: o “Raio Visual Muito Legal Jacohlossal”.
Quando Kroroitavo cambaleava, muito próximo do fim, os seis Jacohrangers bradaram em uníssono a frase que impelia seu robô gigante a desferir o golpe final.

- Golpe Fatal Final Jacohlossal!

O monstro maligno foi destruído. Todos abandonaram o robô, destransformaram-se e vibraram. Polaco e Negão dividiram uma garrafa de vodka, Paty retocou a maquiagem, João e Japa conversaram sobre as novas técnicas de batalha e Ruivão começou a ler seu livro de bolso intitulado “A proliferação de verborragia improdutiva: como evitá-la?”.
Então, Mestre Jacoh chegou até eles.

- Vejo que venceram, meus amigos. No entanto, tenho uma notícia ruim e uma péssima para lhes dar. A notícia ruim é que o uso dos trajes de Jacohrangers alterou o DNA de vocês, tornando-os incapazes de permanecerem na terra por muito tempo. Vocês têm um prazo de vinte e quatro dias para derrotarem o Império Krar e saírem do planeta.
- Essa é a notícia ruim – disse João – Qual é a péssima?
- Estou tentando criar coragem para dizer isso para vocês há quinze dias. O que significa que vocês só podem ficar na terra por mais nove dias.

- SERÃO NOVE DIAS SUFICIENTES PARA QUE OS JACOHRANGERS DESPEÇAM-SE DAS PESSOAS QUE AMAM, REALIZEM SEUS SONHOS, E DERROTEM O IMPÉRIO KRAR?
- CONSEGUIRÁ RUIVÃO CONTER A PROLIFERAÇÃO DA VERBORRAGIA IMPRODUTIVA EM TÃO POUCO TEMPO?

NÃO PERCAM NO PRÓXIMO EPISÓDIO DE JACOHRANGERS!

Um comentário: