Jacohrangers

Jacohrangers

domingo, 2 de dezembro de 2012

EPISÓDIO 23 - ALERTA! A INEFICIÊNCIA DA BAZUCA SEM NOME


EPISÓDIO 23 – ALERTA! A INEFICIÊNCIA DA BAZUCA SEM NOME

NO CAPÍTULO ANTERIOR DE JACOHRANGERS:

- O GENERAL KRER MORRE, AINDA QUE RUIVÃO ACREDITE QUE A MORTE É APENAS UMA ABSTRATA TRANSIÇÃO A UM DOS MÚLTIPLOS PLANOS DIMENSIONAIS EXISTENTES.
- A CONTAGEM REGRESSIVA GANHA TONS DRAMÁTICOS, VISTO QUE NEM OS PRÓPRIOS JACOHRANGERS ANOTARAM CORRETAMENTE QUANTO TEMPO LHES RESTA.

O QUE IRÁ ACONTECER?

Japa teve a idéia de usar seu celular ultra-tecnológico na função “análise de DNA”. Aguardou que Negão o devolvesse, pois estava usando-o na função “liquidificador” para criar uma nova bebida alcoólica. Uma vez com seu aparelho em mãos, o Jacohranger azul começou os testes. Passou o celular no corpo nu de Paty, sob a alegação de que o “DNA feminino é diferente do masculino, por isso o primeiro teste precisa ser em uma mulher”. João se revoltou, e os dois quase trocaram socos.

- Seu miserável! Ela é minha namorada! Minha, entendeu?
- Idiota! Quer passar o resto de seus dias morando com sua namorada em um planeta estranho, com nome estranho e provavelmente cheio de gente estranha igual ao mestre Jacoh?

Todos tentaram, mas não conseguiram impedir que eles trocassem xingamentos por muito tempo. Os testes pararam. Japa não chegou a nenhum resultado, mas não se importava. Já sabia que seria assim. O importante era que pôde apalpar os seios e as nádegas de Paty por alguns segundos.
Ruivão lia um livro chamado: “DNA: está em suas células ou em seu subconsciente?”. Sua intenção era sugestionar seus genes de que era possível viver na Terra para sempre. Negão vomitava, após beber seis litros de whisky em menos de uma hora. Polaco convidava uma jovem para sair em uma conversa telefônica. Paty e João, aos berros, discutiam a relação.

- Há uma opção... – mestre Jacoh pensava em voz alta, sozinho, em seu quarto – Mas o preço a ser pago é alto demais.

***

General Krir tinha em seus lábios o sorriso de quem tem a certeza da vitória. E um pouco de baba.

- Analisamos os restos dos monstros anteriores derrotados pelos Lolóhrangers. Baseados nessas pesquisas, desenvolvemos moléculas com uma resistência muito, muito maior às armas daqueles malditos. O monstro que vou lhe apresentar agora, meu Imperador, é a mais nova criação desenvolvida para especificamente para acabar com aqueles heróis.
- Parece interessante. Quando o novo ataque terá início?
- Imediatamente, se meu Imperador permitir!
- Então vá, General Krir! Vá e acabe com os Jacohrangers!

O general maligno fez uma mesura. Mostrou ao Imperador Krar o terrível monstro Krornono e partiu levando a criatura consigo.

***

- Kimi wa utsukushii desu – Japa disse ao passar por Paty.

João olhou de soslaio, enfurecido por pensar que talvez sua namorada pudesse estar sendo seduzida em outro idioma. No entanto, ele precisava manter a concentração em assistir episódios do Jiban, e acabou esquecendo rapidamente aquilo.
Tudo caminhava para que mais uma tarde modorrenta chegasse ao fim sem maiores preocupações, quando o alarme soou da forma escandalosa de sempre. Os Jacohrangers então se reuniram no salão principal. Contemplaram o grande monitor e viram, em meio a chiados e chuviscos, a imagem do General Krir e o monstro Krornono. Ambos estavam ao lado da represa, ameaçando destruí-la.

- Esse será o fim de vocês, Cipóhrangers! Eu os desafio a virem derrotar o terrível monstro Krornono. Vejamos se são capazes! Caso falhem, destruiremos essa represa e inundaremos sua cidade. Hahahahahahahaha!
- Quanta originalidade! – Polaco disse, antes de arrotar.
- Miserável! – gritou João – Pois saiba que os Jacohrangers têm o direito de prender qualquer criminoso, em qualquer circunstância, sem um mandado de prisão.
- Não, não temos esse direito – corrigiu Paty.
- Represas são como mulheres – disse Ruivão – Sem elas não viveríamos, mas, em compensação, quando elas resolvem criar problemas, é um atrás do outro.
- Hora de Jacohmbater o mal! – gritaram todos ao mesmo tempo.

E os seis heróis logo chegaram à represa. O monstro Krornono parecia revestido por uma couraça azulada de aspecto animalesco. Tinha várias antenas, olhos esbugalhados, testa proeminente, dentes pontiagudos, corpo robusto e voz bestial. Suas garras eram afiadas e desproporcionais, gotejavam sangue e eram um convite à violência.

- Dominóhrangers! Este será o túmulo de vocês! – Krir emitiu a primeira bravata.
- Você pode tirar nossas vidas, nossas armas, nossas esperanças, e talvez até nossas calças – disse Ruivão – Mas jamais poderá tirar de nós a certeza incerta de que vamos acertar.
- Já chega! Krornono, mate-os!

E a batalha começou. Uns poucos soldados Krur surgiram do nada, tomando a dianteira e cansando os Jacohrangers. Não levou muito tempo para que os seis heróis derrotassem todas aquelas criaturas fracas e albinas. Contemplaram o verdadeiro inimigo a poucos metros deles e avançaram.
Krornono emitia raios de suas antenas, dificultando a aproximação de seus oponentes. A Jacohranger rosa disparou de longe com sua besta, mas seu ataque não causou grande dano. Tentou mais vezes, atingiu o inimigo mais vezes, mas novamente não o feriu seriamente. Os outros Jacohrangers receberam as rajadas emitidas por Krornono para distraí-lo e permitir que Ruivão se aproximasse com sua espada.

- Vamos ver se você é capaz de subjugar o trabalho em equipe de uma equipe equipada com equipamentos que se equiparam ao...

Ruivão foi interrompido por um golpe violento com as garras do monstro. Não conseguiu feri-lo muito e ainda recebeu um poderoso contra-ataque e foi ao chão. O Jacohranger preto e o amarelo tentaram um ataque combinado. Na seqüência, João estocou o monstro com sua arma. Paty disparou com sua besta, Japa surpreendeu Krornono com uma investida pela retaguarda.
A criatura maligna tinha sido ferida, mas não o bastante. Os Jacohrangers sabiam disso, e também sabiam o que era necessário para encerrar de vez a luta.

- Bazuca sem nome! – gritaram todos.

A poderosa bazuca surgiu e emitiu sua rajada de energia. Uma grande explosão de sucedeu. Quando a poeira baixou, Krornono ainda resistia, sem ter sofrido grande dano.

- Impossível! – todos gritaram em uníssono.
- Talvez se eu me concentrar e entrar em uma conexão mental com vocês... – sugeriu o Jacohranger verde – A bazuca só estava acostumada a receber as energias de você. Se eu somar as minhas... O poder da bazuca será aumentado consideravelmente.

O seis heróis concentraram-se e tentaram novamente. Como João havia previsto, a bazuca expeliu uma energia muito mais intensa, violenta, poderosa, destrutiva e incontrolável. Krornono virou cinzas, mas logo o Raio Agigantador surgiu, fazendo o miserável ressurgir com quase cinqüenta metros de altura.
O Gigante Guerreiro Jacohlossal veio rapidamente. Seu compartimento de entrada foi aberto, e logo os seis Jacohrangers já estavam prontos para aquela gigantesca batalha. Krornono emitiu raios de suas antenas, e os heróis defenderam-se com o Escudo de Defesa Defensiva Jacohlossal.
Então o robô gigante atacou com o Míssil Jacohlossal, o Raio Jacohlossal e o Punho Jacohlossal. Krornono caiu com força, mas logo se levantou, recebendo mais ataques, e também os respondendo. Os dois seres gigantescos mediram forças, trocando socos e chutes, confrontando suas energias e seus ataques especiais. Dentro do robô, os Jacohrangers resfolegavam e suavam, cansados pela intensidade do combate.
Mas logo chegou o momento de pôr um fim àquela batalha.

- Golpe Fatal Final Jacohlossal!

Krornono foi reduzido a cinzas e diminutos pedaços de carne putrefata de três milímetros de diâmetro. A batalha fora vencida a muito custo, a represa não fora destruída e os Jacohrangers ainda conseguiram descobrir uma forma de ampliar o poder de fogo de sua famigerada “bazuca sem nome”.

- Pelas minhas contas, temos oito dias, três horas e dezessete minutos ainda na Terra! – disse o herói azul.
- Talvez tenhamos uma hora a mais, se levarmos em conta o horário de verão! – Ruivão respondeu.

- QUANTO TEMPO, DE FATO, OS JACOHRANGERS AINDA TÊM?
- IRÃO OS LEITORES PERCEBER QUE HÁ UMA ENQUETE NA PARTE SUPERIOR DIREITA DO BLOG DOS JACOHRANGERS NA QUAL PODEM VOTAR EM SEU HERÓI FAVORITO?

NÃO PERCAM NO PRÓXIMO CAPÍTULO DE JACOHRANGERS!                   

2 comentários:

  1. Meu voto para a enquete veio devido ao andamento dos capítulos XD

    E outra... O que o Japa falou pra Paty? Alguma coisa de linda? Fiquei na dúvida com o Kimi.

    ResponderExcluir
  2. - Você pode tirar nossas vidas, nossas armas, nossas esperanças, e talvez até nossas calças – disse Ruivão – Mas jamais poderá tirar de nós a certeza incerta de que vamos acertar.

    E por essas e outras que tentei votar no Ruivão, mas não sei se meu voto foi computado!!

    Também quero saber o que o Japa disse para a Paty! XD

    ResponderExcluir