Jacohrangers

Jacohrangers

domingo, 7 de abril de 2013

EPISÓDIO 41 - GATTAI! FUSÃO! O ROBÔ SUPREMO!



EPISÓDIO 41 – GATTAI! FUSÃO! O ROBÔ SUPREMO!

NO CAPÍTULO ANTERIOR DE JACOHRANGERS:

- A SAGA DOS JACOHRANGERS TERÁ AO TODO 50 EPISÓDIOS. APÓS ISTO, TEREMOS A 2ª TEMPORADA, COM MUITAS NOVIDADES.
- GIGANTE GUERREIRO JACOHLOSSAL E ROBÔ RESERVA ESTÃO PRESTES A SEREM DESTRUÍDOS POR KRORDECIMOOITAVO, KRORDECIMONONO, KRER E KRIR.

O QUE IRÁ ACONTECER?

- De acordo com o “Google Tradutor”, “Gattai” significa “coalescência” – disse Ruivão – Acho que coalescência deve ter algo a ver com “coalhar” o leite. Ou algo assim.
- Aperte esse botão, Negão! – Japa gritou – Ele pode nos salvar.

Uma voz metálica emitiu um estrondoso grito de GATTAI, e um estranho processo teve início. Gigante Guerreiro Jacohlossal e Robô Reserva foram atraídos um em direção ao outro. Peças foram se alterando, algumas se soltando, outras se conectando, dando espaço a novos compartimentos. E os robôs foram se fundindo. Diferentes partes foram se unindo, encaixando-se sob um som de metal.

Surgia o Robô Supremo!

***

Krordecimooitavo e Krordecimonono atacaram ao mesmo tempo. O Robô Supremo desvencilhou-se do toque sujo dos monstros e os golpeou, levando-os ao chão rapidamente. Krer e Krir também tentaram atacar e não foram bem-sucedidos. Receberam o contra-ataque e foram ao chão.

- Esse robô é muito forte! – João e Ruivão gritaram ao mesmo tempo.
- Pessoal, vejo que meu celular ultra-tecnológico está com a bateria muito próxima do fim. A fusão não vai durar muito tempo – Japa alertou – Melhor acabar com isso enquanto ainda podemos.

Os ataques do Robô Supremo arrancaram braços e pernas dos monstros e dos generais, deixando-os à beira da morte. Krer tentou fugir, mas tropeçou em um prédio e caiu. Krir arriscou um ataque, mas o robô dos Jacohrangers desviou-se. João, então, preparou o golpe final.

- Poder Jacóhsmico!

***

De volta à base dos Jacohrangers, Mestre Jacoh entrava em desespero.

- Eles estão usando o “Poder Jacóhsmico”! Dizem que toda lâmpada brilha ao máximo antes de se extinguir para sempre. Talvez os Jacohrangers estejam fazendo o impossível agora...

E o velho mestre começou a chorar.

***

Uma quantidade absurda de energia envolta a uma quantidade absurda de luz foi disparada, causando uma quantidade absurda de barulho. A onda de devastação foi tão grande, que atingiu ao mesmo tempo os quatro inimigos. Krordecimooitavo, Krordecimonono, General Krer e General Krir foram varridos da face de Cidadopolislândia e transformados em poeira cósmica. Poeira Jacóhsmica!

- Vencemos! – gritou Polaco.
- Sua visão voltou ao normal, velho amigo – Negão comemorou.
- Vamos ver se voltou mesmo: Polaco, quantos dedos há aqui? – Ruivão perguntou, mostrando seu cotovelo e sendo imediatamente ignorado.

Os heróis seguiram conversando, destransformados, sobre a recente vitória, quando notaram um silêncio preocupante de Japa. O celular ultra-tecnológico estava sem bateria. Totalmente. O Gigante Guerreiro Jacohlossal voltou para a base e ainda poderia ser usado se necessário. Mas o Robô Reserva só voltaria a ativa quando o celular estivesse com a bateria carregada. O que poderia levar horas.

***

Os Jacohrangers só tinham mais cinqüenta e sete minutos na Terra.

***

- Precisamos voltar para nossa base – João disse – Lá o Japa poderá pôr o celular ultra-tecnológico para carregar. Precisamos dele para usar o teletransporte e assim chegarmos ao Monte Everest.
- Que coisa, hein Japa? Você não serve nem para ter um celular reserva! – Paty grunhiu com desprezo.
- E você nem para me aceitar como seu namorado reserva, hein Paty? – o descendente de orientais respondeu.
- Calem-se os dois! – João gritou – Isso não é hora para discussões. Não percebem que temos pouco e já está quase anoitecendo?
- Justamente por isso é que eles deveriam discutir – Ruivão opinou – Da discussão, nasce a luz.
- Decidam logo o que vocês querem fazer, porque eu preciso urgentemente de uma cerveja – disse Polaco.
- Eu também! – era Negão.

Após várias discussões e muitas conversas tolas e sem conteúdo, os seis heróis chegaram ao seu quartel-general. Japa correu em busca da tomada mais próxima e pôs seu celular para carregar. Paty foi tomar um banho. Polaco abriu uma garrafa de champanhe. Ruivão foi continuar a leitura de um livro chamado: “Se da discussão nasce a luz, da agressão nasce o que?”.
João foi procurar o Mestre Jacoh. Tinham vencido uma importante batalha, mas restava-lhes pouquíssimo tempo. Aquele era o momento de absorver todos os ensinamentos possíveis. E também de pedir a ele para baixar os episódios recentes de Kamen Rider Wizard.

- Mestre Jacoh! Mestre Jacoh! – ele ia gritando em todos os ambientes.

Doze minutos depois, a triste conclusão: o mestre do grupo não estava lá. Onde poderia ter ido em um momento tão crítico?

***

Os Jacohrangers só tinham mais quarenta minutos na Terra.

***

O Mestre estava de volta. Ele tinha ido buscar um jato especial que o grupo tinha – embora ninguém soubesse. O veículo tinha sido liberado há poucas horas pelo DETRAN do estado de Mato Grosso do Oeste. Com ele, seria possível os Jacohrangers irem ao Monte Everest sem recorrer ao teletransporte proporcionado pelo celular de Japa.
Os seis heróis foram chamados às pressas. Paty estava ainda seminua, mas foi encorajada por seus companheiros a não se importar com aquilo. Polaco e Negão já estavam ligeiramente embriagados. Japa deixou seu celular carregando. Ruivão e João nada disseram. Mestre Jacoh também ingressou no veículo.

- Temos que conversar! – o mestre disse em tom monocórdio.
- Concordo! – era Ruivão – Até porque, se ficarmos em silêncio durante a viagem, ficaremos entediados. E aí, João? O que nos conta de novo?
- Cale-se, Ruivão!

A cabeça do Mestre Jacoh zunia. Pela cabeça dele passava a gravidade da situação atual, a urgência que tinham, e um medo sobre o qual não tinha ainda conversado com os Jacohrangers.
O Imperador Krar estava desaparecido. Ou planejando o ataque definitivo, algo surpreendente e devastador; ou reunindo guerreiros para a criação de um grande exército? Quem sabe despertando seu poder máximo? Ou apenas esperando que os Jacohrangers sejam derrotados pelos seus próprios erros? Até onde poderia ir a força do Imperador? Os heróis seriam capazes de vencê-lo? Se sim, a que preço?

- Mestre, hipoteticamente, falando: caso o senhor tenha alguma revelação a nos fazer, algo sério que nunca nos contou antes por falta de coragem, acredito que agora seja o momento mais indicado. Só temos mais trinta minutos para ficar aqui na Terra – disse Ruivão.
- Como sabe que tenho algo a lhes contar?
- Na verdade, não sei. Negão, caso tenha alguma revelação a nos fazer, algo sério que nunca nos contou antes por falta de coragem, acredito que agora seja o momento mais indicado. Só temos mais vinte e nove minutos para ficar aqui na Terra.
- Cale-se, Ruivão!

NO PRÓXIMO CAPÍTULO DE JACOHRANGERS!

Coincidência ou não, o Mestre Jacoh realmente tinha uma revelação seriíssima a fazer, algo que mudará completamente o destino dos Jacohrangers. Não percam no próximo domingo:

CAPÍTULO 42 – REVELAÇÃO! O SEGREDO DO MESTRE JACOH!   

Um comentário: