Jacohrangers

Jacohrangers

domingo, 19 de maio de 2013

EPISÓDIO 47 - VITÓRIA IMPOSSÍVEL



EPISÓDIO 47 – VITÓRIA IMPOSSÍVEL

NO CAPÍTULO ANTERIOR DE JACOHRANGERS:

- OS JACOHRANGERS VERDE E VERMELHO LUTAM DENTRO DO GIGANTE GUERREIRO JACOHLOSSAL, MAS NÃO TEM FORÇA SUFICIENTE PARA VENCER O IMPERADOR KRAR.
- OS DEMAIS HERÓIS SEGUEM TENTANDO ELIMINAR OS INFINITOS SOLDADOS KRUR E SALVAR AS FAMÍLIAS PRISIONEIRAS.

O QUE IRÁ ACONTECER?

Os soldados Krur ainda eram muitos, mas menos que antes. Já era quase possível vislumbrar um fim para aquele confronto. Vários corredores, túneis estreitos e salões subterrâneos foram deixados para trás. Os Jacohrangers já conseguiam enxergar uma imensa porta e ouvir gritos de desespero vindos daquela direção.
Mas a última linha de resistência dos inimigos parecia muito determinada a detê-los. Lutavam com uma gana maior que as anteriores. Esforçavam-se mais, não se entregavam. Vendiam caro suas derrotas.
Usando suas armas e lutando no limite extremo de suas forças, os Jacohrangers iam derrubando todos os inimigos. Os heróis pagavam um alto preço em sangue por cada vitória. Mas seguiam. Sem desânimo, sem hesitação. Sem falarem bobagens enquanto batalhavam.
Mesmo com o cansaço atrapalhando, Negão, Polaco, Paty e Japa finalmente venceram. Encontraram sem grande esforço as celas onde três cientistas e seus familiares eram mantidos cativos. Os prisioneiros choraram de alegria quando viram a chegada dos heróis.

- Graças a Deus vocês vieram nos salvar!
- Sei que este tipo de coisa está além do alcance de vocês, mas da próxima vez que forem seqüestrados, procurem convencer seus seqüestradores a manterem vocês presos em um local mais próximo – disse Polaco, completamente embriagado.

Foi uma longa caminhada de volta à superfície. As famílias foram a um hospital, pois embora não tivessem sido machucadas, estavam subnutridas. Os Jacohrangers foram dominados pela sensação de “missão cumprida” e correram até seu quartel-general.

***

Mestre Jacoh viu pelo imenso monitor da sala principal o Imperador Krar arremessar Ruivão a centenas de metros de distância. O Jacohranger vermelho estatelou-se no chão. Desesperado, o mentor do grupo tirou da tomada o celular ultra-tecnológico, já com a bateria totalmente carregada.

E partiu, em seu jato, rumo ao campo de batalha.

Poucos minutos foram necessários até que Mestre Jacoh chegasse até onde estava Ruivão, quase que desacordado. Antes que o herói vermelho entendesse bem o que ocorria, o velho mestre já preparava o celular para que se transformasse no Robô Reserva.
Metros dali, o Gigante Guerreiro Jacohlossal fazia um comovente esforço para não ser destruído pelos ataques conjuntos do Imperador Krar e do monstro Krorvigésimo. Assim que o Jacohranger vermelho recobrou a lucidez, ingressou no Robô Reserva e pôs-se a postos. Os demais heróis já vinham vindo também, após o resgate bem-sucedido dos prisioneiros.

A batalha derradeira finalmente iria começar.

***

O Jacohranger verde manteve-se dentro do bastante danificado Gigante Guerreiro Jacohlossal. Os demais heróis entraram no Robô Reserva. Contra eles, o Imperador Krar e o monstro Krorvigésimo. Novamente, uma luta de dois contra dois.
Aquela seria a batalha final. O confronto decisivo. A luta derradeira que definiria o destino do planeta terra. Não terminaria enquanto um lado não estivesse morto e o outro comemorando infantilmente. Era vencer ou morrer.

- Agora já podemos lutar com todas as nossas forças, concentrados apenas em derrotá-los, vilões malditos! – gritou Negão.
- Vocês conhecerão agora o poder máximo dos Jacohrangers! – João também gritou de forma estridente.
- É chegada a hora de acabar com toda a vilania deste mundo, embora eu ache que a existência do assim chamado “funk” seja um ato de crueldade contra os seres vivos – Ruivão também gritou.
- Não tenho nada impactante para dizer! – foi a vez de Japa.

Polaco estava embriagado demais para falar e apenas arrotou.

- Vocês destruíram meu salão de beleza favorito e agora pagarão por isso! – Paty vociferou.

E então a batalha começou de fato.

O Robô Reserva tomou a dianteira, pois sabia que o Gigante Guerreiro Jacohlossal estava quase destruído. Avançou empunhando a Espada Reserva e atacou o monstro Krorvigésimo. A criatura esquivou-se, mas foi novamente golpeada em seguida e urrou de dor. O Imperador Krar interpôs-se entre a lâmina do robô e seu servo, bloqueando as investidas seguintes.
As lâminas se chocaram várias e várias vezes. A espada de fogo e a Espada Reserva se enfrentavam em uma batalha digna de verdadeiros espadachins. Atacavam e defendiam com rara perícia, gerando um eco ensurdecedor.

- Ruivão, como você consegue controlar tão bem a espada? – perguntou Paty?
- É fácil! Só precisei apertar o botão “piloto automático”.

Robô Reserva e Imperador Krar seguiam brandindo suas lâminas ferozmente, quando algo veio à cabeça de Negão. Uma dúvida pertinente, que, estranhamente, não surgiu na mente de ninguém.

- Onde está o Krorvigésimo?

O monstro terrível estava justamente atrás do Robô Reserva, reunindo energia para atacá-lo com força devastadora, por trás, covardemente, de forma traiçoeira.
O impacto gerou uma imensa explosão, arremessando os heróis e sua máquina de batalha para o chão. Ao longe, o Gigante Guerreiro Jacohlossal, semidestruído, tentou ir acudir o robô aliado, mas não tinha forças nem para se mover adequadamente. Só pôde ver à distância, o Robô Reserva receber mais ataques enquanto estava caído.
Subitamente, Krorvigésimo e Imperador Krar recuaram alguns metros.

- Chegou a hora de vocês conhecerem o verdadeiro terror, seus desgraçados! – gritou o líder dos vilões.
- Ruivão! Vamos logo fazer a fusão que vai gerar o Robô Supremo! – gritou João – É a única forma de vencermos! Não há por que esperarmos mais.
- João, vejo que você está com medo das ameaças vazias do Imperador Krar. Se quiser, depois da batalha posso lhe emprestar um livro intitulado “Falta de surra na infância é a principal causa do medo”. Acredito que irá lhe ajudar muito.
- Krorvigésimo! Mostre a eles o terror absoluto! – o Imperador berrou.

E dos olhos de cor vermelha do monstro surgiu um brilho maligno e um clarão. E o Robô Reserva passou a ser controlado por Krorvigésimo. Como uma marionete, começou a ser arremessado em direção a prédios, casas e praças. E o Jacohrangers foram expulsos do robô.
Eles adentraram o semidestruído Gigante Guerreiro Jacohlossal rapidamente, mas sabiam que não tinham chance.

- Agora somos três contra um! – o Imperador Krar gargalhou.

E a um gesto do monstro Krorvigésimo, o Robô Reserva começou a atacar o Gigante Guerreiro Jacohlossal.

***

- Fujam, Jacohrangers! Ou vocês serão destruídos. É impossível vencer – o Mestre Jacoh lhes gritava telepaticamente – Reúnam o que resta das energias do Gigante Guerreiro Jacohlossal e abandonem o campo de batalha.
- Mas, Mestre... – era João – Se abandonarmos o campo de batalha, eles irão destruir a cidade.
- Não há escolha! Se vocês ficarem, eles destruirão vocês e depois destruirão a cidade do mesmo jeito. Mais que isso: eles destruirão o mundo.

E com o coração cheio de pesar, indignação, impotência e revolta, os Jacohrangers usaram o que sobrou das forças do Gigante Guerreiro Jacohlossal e fugiram.

- Robô Reserva! Krorvigésimo! – gritou o Imperador Krar! Vamos destruir este mundo.
 
NO PRÓXIMO CAPÍTULO DE JACOHRANGERS:

Os heróis precisam achar uma forma de ter novamente sob seu controle o Robô Reserva. Mas farão isso a tempo de impedir a destruição de sua cidade. Não percam no próximo domingo:

EPISÓDIO 48 – O FIM DE CIDADOPOLISLÂNDIA!

Nenhum comentário:

Postar um comentário