Jacohrangers

Jacohrangers

domingo, 23 de junho de 2013

EPISÓDIO 02 - A PRIMEIRA BATALHA


EPISÓDIO 02 – A PRIMEIRA BATALHA
EPISODE 02 - THE FIRST BATTLE
挿話二 - 初戦

NO CAPÍTULO ANTERIOR DE JACOHRANGERS:

- MESTRE JACOH RECRUTA UMA NOVA GERAÇÃO DE HERÓIS PARA SUBSTITUIR OS ANTIGOS, FAZENDO SURGIR ENTÃO UM NOVO GRUPO DE JACOHRANGERS.
- OS HERÓIS SÃO SURPREENDIDOS COM O PRIMEIRO ATAQUE DOS TERRÍVEIS VILÕES DO IMPÉRIO AKKUMA.

O QUE IRÁ ACONTECER?

Todos tentavam disfarçar, mas sentiam medo. Insegurança. Nenhum deles tinha digerido bem as notícias recentes. A imensa responsabilidade pesava muito sobre seus ombros.
Na cidade, ainda o caos. Cada vez mais pessoas corriam desesperadas, arrastando-se aos trambolhões em busca de um lugar seguro. Carros eram destruídos e casas incendiadas. Viaturas tombavam e policiais se feriam. Cenas fortes, que mexeram com o coração dos cinco jovens.

- Vamos! – Shira gritou e avançou, sendo prontamente seguida por seus colegas.

Mesmo destransformados, entraram em combate com os seres invasores. Eram criaturas reptilianas, de braços que terminavam em garras e línguas que salivavam ácido. Apesar da aparência intimidadora, não eram tão temíveis em batalha. Aos poucos foram caindo diante dos golpes dos heróis.

- Incrível. O Mestre Jacoh escolheu apenas jovens que já tinham praticado artes marciais quando menores – Shira pensou em voz alta, enquanto derrubava um inimigo.

Em poucos minutos, todos aqueles seres asquerosos tinham sido nocauteados pelos Jacohrangers. Sem acreditar na própria vitória, os heróis se entreolharam felizes, até terem a alegria interrompida por uma voz feminina e gutural.

- Vejo que os Soldados Kardler (兵士カルド) não foram o bastante para vencê-los!

Era uma fêmea humanóide de traços faciais grotescos, garras e caudas bestiais e olhos de um vermelho que parecia sangue fresco. O corpo era revestido por uma mistura doentia de escamas, peles e pêlos fétidos. Empunhava uma espada quase maior que ela e mantinha a seu redor uma espécie de “aura negra”.

- Eu me apresentaria a vocês, mas como vou matá-los imediatamente, não há por que me identificar.

Antes que uma violenta rajada de energia maligna fosse disparada, os cinco heróis, ao mesmo tempo, colocaram seus anéis de encontro ao peito e bradaram com todas as forças uma frase que passariam a dizer com freqüência:

- Jacoh Change!

Um rútilo cegante surgiu, circundando os jovens e transformando-os, pela primeira vez, em Jacohrangers.

- Isso não me intimidará! – a vilã gritou.

A criatura monstruosa estocou dois heróis ao mesmo tempo, tamanha sua velocidade, levando ao chão os heróis cinza e púrpura. Os outros três cercaram a inimiga e desferiram socos e chutes, dos quais ela se esquivou sem esforço.
A lâmina da vilã percorreu um arco veloz, e em seguida outros dois, atingindo ferozmente os heróis. Antes que os Jacohrangers se levantassem, numerosos raios os atingiram, fazendo-os gritar de dor.
Levantaram-se tão rápido quanto puderam, ignorando as gargalhadas irônicas de sua rival. Em silêncio, todos se lembraram das palavras do Mestre Jacoh. Ele havia orientado os jovens a mentalizarem com toda a força as armas que herdariam da força misteriosa. No começo com insegurança, depois com confiança e convicção, os cinco fizeram surgir espadas em suas mãos e pistolas em suas cinturas.
E então os Jacohrangers contra-atacaram. As cinco espadas se chocaram com a lâmina da inimiga, quase a derrubando. Mais e mais golpes foram trocados, sempre com os heróis acuando sua oponente. A vilã disparou raios para arremessar os jovens para longe, e assim recuperar terreno.

- Isso foi só um aquecimento, insetos terráqueos. Agora que já temos o Controlador Bio-Molecular, esta distração não é mais terráquea.
- Distração? – Chairo, o Jacohranger marrom perguntou.
- Quer dizer que todo esse ataque foi apenas para nos desviar do verdadeiro objetivo de vocês? – Shira também estava surpresa.

Não houve resposta. A vilã anônima partiu, após uma explosão. Não tinha se identificado, nem dito quais eram seus objetivos. Apenas havia revelado que enganara os heróis. A menção ao Controlador Bio-Molecular também deixou os Jacohrangers confusos.

- O que será isso? – Murana perguntou.
- Vamos seguí-la! – Chairo disse, desistindo da idéia de correr ao notar que nenhum dos seus colegas o seguiria.
- Não adianta! – era Shira – Não conseguiremos encontrá-la. É melhor voltarmos e perguntarmos ao Mestre Jacoh se ele sabe de alguma coisa.

Os demais Jacohrangers assentiram com a cabeça. E regressaram.

***

Para a surpresa de todos, o Mestre Jacoh não estava. Shira ligou o monitor e acionou o sistema de rastreamento do computador principal. Se o Império Akkuma atacasse novamente, os heróis ficariam sabendo no mesmo instante.
Foram longos minutos aguardando o retorno do mestre em silêncio. Ninguém sabia aonde ele poderia ter ido, nem se demoraria a voltar. Esperar muito não parecia indicado. Shira tomou a iniciativa.

- Deveríamos sair em patrulhamento! Podemos nos dividir e assim que alguém encontrar algo suspeito, avisa os outros.
- Vamos descansar um pouco! – Daira pediu – Estou ferida e ainda estou um pouco assustada.

Todos fizeram silêncio. Shira de aproximou da Jacohranger laranja.

- Ouça, Daira. Todos nós estamos um pouco assustados. Você não é a única. Mas você precisa ter coragem e não se dar por vencida.
- Você também está assustada, Shira?
- Claro! Todo mundo foi pego de surpresa com tudo que aconteceu. Mas pense que há pessoas lá fora que precisam de nós, pessoas que não são capazes de se defenderem sozinhas. E só nós podemos defendê-las.
- Tem razão.

Daira sorriu. Grey manteve-se silencioso em seu canto. Chairo e Murana fecharam seus punhos com força, como se ansiosos pela batalha vindoura. Antes que mais alguma coisa fosse dita, o Mestre Jacoh chegou. E sua expressão era preocupante.

***

- O Controlador Bio-Molecular é uma arma terrível. Só posso pensar que eles vão usá-la para fazerem seus monstros ficarem gigantes.
- Meu Deus! – Daira quase saiu correndo ao ouvir aquilo.
- E o que podemos fazer para detê-los, ou para combater monstros gigantes? – Shira perguntou.
- Vejo que teremos que antecipar um pouco as coisas... – Mestre Jacoh disse com certa hesitação.
- Como assim? – todos questionaram quase ao mesmo tempo.

Antes que o Mestre Jacoh dissesse algo, um som de alerta interrompeu a concentração dele. O monitor mostrou a imagem de um monstro imenso, gigantesco, de quase sessenta metros de altura, urrando enfurecido. Estava em uma das regiões de Brazilian Tokyo que ainda se encontrava desabitada, mas não tardaria para chegar a uma área povoada.

- Miseráveis! – Shira gritou – Então era para isso que queriam o tal Controlador Bio-Molecular!
- Mestre Jacoh, o que podemos fazer? – Chairo perguntou, aflito.
- Chegou a hora de vocês despertarem uma das mais poderosas armas deste mundo. Não tenham medo, pois vocês terão acesso a um poder capaz de destruir este e outros monstros.

“Chegou a hora de vocês despertarem o Densetsu Robotto (伝説ロボット)
つづく 
NO PRÓXIMO CAPÍTULO DE JACOHRANGERS:

Os Jacohrangers correm contra o tempo para despertarem seu robô gigante. Conseguiram fazê-lo antes que o monstro do Império Akkuma destrua Brazilian Tokyo? Não percam no próximo domingo:


EPISÓDIO 03 – O robô gigante aparece!  

Nenhum comentário:

Postar um comentário