Jacohrangers

Jacohrangers

domingo, 21 de julho de 2013

EPISÓDIO 06 - O AMOR DE CHAIRO



 EPISÓDIO 06 – O AMOR DE CHAIRO
EPISODE 06 - CHAIRO'S LOVE
挿話六 - チャイロ



NO CAPÍTULO ANTERIOR DE JACOHRANGERS:

- UMA ARMADILHA CRUEL DO IMPÉRIO AKKUMA FEZ UMA MALDIÇÃO ANCESTRAL TRANSFORMAR PESSOAS EM LOBISOMENS, CRIANDO CAOS EM BRAZILIAN TOKYO.
- COM DIFICULDADE, OS JACOHRANGERS CONSEGUIRAM DETER O PLANO MALIGNO E SALVAR O POVO DE SUA CIDADE.

O QUE IRÁ ACONTECER?

Os Jacohrangers costumavam se revezar na ronda da cidade. Brazilian Tokyo era uma metrópole imensa, exigindo que, ao menos três heróis, patrulhassem ao mesmo tempo áreas distintas para que nenhuma região ficasse desprotegida.
Chairo havia sido designado para monitorar um bairro de classe alta. Parques, praças de alimentação, shoppings e muitas lojas existiam por ali. O Jacohranger marrom caminhava destransformado, discretamente, por um tipo de “calçadão”. Era um local de grande movimento, obrigando o jovem herói a olhar com muita atenção para conseguir realmente detectar algo de errado.
Tão atento ele estava ao tentar visualizar vários locais ao mesmo tempo, que acabou esbarrando em alguém.

- Desculpe, moça. Mil desculpas.
- Tudo bem. Sem problemas. Eu compro outro sorvete.
- Puxa, além de derrubar seu sorvete, ainda sujei seu tênis.

Chairo já estava se abaixando e tirando um lenço do bolso, quando a mão da moça em seu ombro o impediu.

- Não se preocupe. Não precisa.

Então, o Jacohranger marrom fitou a garota com calma e se encantou. Ela tinha um sorriso lindo, olhos de um negro profundo, longos cabelos escuros e um corpo bem definido. No rosto dela, uma simpatia e graciosidade que nem mesmo as atrizes de TV e as cantoras famosas possuíam. E havia algo mais. Algo que Chairo demorou a entender.

- Meu nome é Chairo. Muito prazer.
- Meu nome é Aline.

Pelo nome, e por não ter traços japoneses, ficava claro que ela não era de nenhuma família oriunda de Tóquio. Os dois conversaram muito, parando apenas porque o herói precisava voltar para sua base. Os jovens anotaram os telefones celulares um do outro e combinaram de voltarem a se ver nos dias seguintes.

E, nos três dias seguintes, Chairo usou seus horários de folga para ver Aline.

***

Ghitta conversava com alguém. Parecia alguém a quem ela devia satisfações, ou obediência, pois falava com um tom respeitoso. Estavam nas sombras, ocultos por estranha magia. Soldados Kardler encontravam-se próximos, ouvindo em silêncio.

- Os Jacohrangers possuem corações frágeis, repletos de sentimentos humanos.
- Isso já sabemos, Ghitta! Minha pergunta é como você pretende utilizar isso contra eles.
- Parece que o Jacohranger marrom está apaixonado por uma jovem. Vamos seqüestrá-la. Criaremos uma armadilha para os Jacohrangers, uma armadilha muito mais eficiente do que a última.
- O que te faz pensar que agora será diferente? Você já falhou mais de uma vez! – o ser misterioso gritou.
- Peço seu perdão, meu senhor, mas asseguro que, desta vez, não haverá falhas.
- Ótimo! Comece logo a operação. Use o monstro Daragoron (ダラゴロン).
- Sim!

Ghitta daria início a um dos seus planos mais covardes.

***

A ligação não se completava. Chairo ligava, ligava e Aline não atendia. Os demais colegas do garoto percebiam sua aflição e lamentavam. Assuntos pessoais como aquele eram delicados e ninguém queria se envolver. No fundo, todos achavam que a moça simplesmente tivesse desistido do Jacohranger marrom e encontrado outra pessoa.

- Pessoal, eu vou precisar sair! – ele disse.
- Você tem ronda para fazer hoje à noite, esqueceu? – era Murana.
- Eu cubro o Chairo – Shira sorriu – Pode ir sem problemas.

O garoto sorriu e saiu apressadamente. Minutos depois, Daira havia trocado de roupas e também saía da base. Parecia tentar fazê-lo com discrição, como se não quisesse que dessem por sua falta. Mas foi em vão.

- Aonde vai? – era Shira.
- Vou seguí-lo, é claro.

Os demais Jacohrangers sentiram que havia algo além de preocupação por parte dela. Ciúmes, provavelmente. Mas apenas sorriram.

***

Uma emboscada covarde. Quando Chairo se recuperou do violento chute que recebeu pelas costas, viu dezenas de soldados Kardler. No meio deles, Ghitta e um monstro novo.

- A garota que você gosta está conosco.

Aquelas palavras fizeram o coração de Chairo parar. Sem saber, ele era observado, de longe, por Daira, a Jacohranger laranja. A garota correu até o amigo, que se surpreendeu com a chegada dela. Ambos, então, decidiram lutar.

- Jacoh Change!
- Não adianta quererem lutar aqui – Ghitta gargalhou, com a maldade que lhe era característica – Se tem interesse em resgatá-la, venham até o Vale Oeste. Mas apenas vocês dois. Se mais algum Jacohranger vier junto, a garota será sumariamente executada.

Enquanto os dois Jacohrangers estremeciam com aquela ameaça, Ghitta, o monstro maligno e os soldados Kardler sumiram magicamente. Chairo e Daira conversaram por alguns instantes, em dúvida se deveriam ou não avisar seus amigos. Era óbvio que aquilo era outra armadilha, mas o jovem jamais se perdoaria se acontecesse algo a Aline. Jamais.
Sem escolha e sem idéias melhores, os dois foram o mais rápido que puderam até o Vale Oeste. Sem avisar seus amigos.

***

Era um local extenso e sem nenhum tipo de paisagem. O campo de batalha ideal. Não tardou para que os dois vissem, no topo do vale, Aline presa a um tipo de cruz. Cabeça baixa, prostrada, desacordada, mas felizmente não parecia ferida. Ao lado da garota, vários soldados Kardler com lâminas próximas ao pescoço dela.
Os dois Jacohrangers tentaram caminhar em direção a ela, mas foram detidos por mais soldados Kardler. Chairo os golpeava com socos e chutes sucessivos, nocauteando-os velozmente. Daira usava sua espada para ir abrindo caminho.
Em poucos minutos, os miseráveis tinham sido derrotados. Então veio até eles o monstro Daragoron. O ser bizarro tinha aspecto de dragão e baforejou fogo várias vezes, não permitindo que os Jacohrangers se aproximassem. O marrom e a laranja dispararam com suas pistolas à distância, sem sucesso. Saltaram e buscaram acertá-lo com suas espadas, dando início à batalha corpo-a-corpo.
Enquanto os dois lutavam, disparos lasers nocauteavam os soldados Kardler que estavam ao lado de Aline. Eram os Jacohrangers cinza, branca e púrpura. Assim que os três tentaram chegar até a moça prisioneira, foram interceptados por Ghitta. A vilã golpeou os três heróis sem esforço, derrubando-os do topo do vale.
Restou aos cinco Jacohrangers unirem suas forças e confrontarem o monstro maligno. Ele continuou disparando fogo, obrigando os heróis a se manterem distantes. E foi justamente aquilo que possibilitou que Shira o surpreendesse com um golpe por trás. Desequilibrado, Daragoron recebeu mais e mais ataques, até não ter mais forças para se defender.

- Jacó Cannon.

O imenso canhão destruiu o monstro. Em seguida, a força maligna do Império Akkuma fez a criatura reviver gigantesca. Os Jacohrangers invocaram o Densetsu Robotto e ingressaram nele. A enorme batalha estava prestes a começar, quando Daira reparou que Chairo olhava para o vale e lhe perguntou o que houve.

- Aline desapareceu. Ghitta a levou para outro lugar!
 つづく
NO PRÓXIMO CAPÍTULO DE JACOHRANGERS:

Além de ter que resgatar Aline, que está desaparecida, os heróis ainda recebem a notícia da chegada do terrível Imperador inimigo. O que o Império Akkuma pretende? Não percam no próximo domingo:

EPISÓDIO 07 – O IMPERADOR ALIENÍGENA

Nenhum comentário:

Postar um comentário