Jacohrangers

Jacohrangers

domingo, 11 de agosto de 2013

EPISÓDIO 09 - A MORTE ATINGE OS JACOHRANGERS



 EPISÓDIO 09 – A MORTE ATINGE OS JACOHRANGERS
EPISODE 09 DEATH HITS JACOHRANGERS
 挿話 死はジャを打つ

NO CAPÍTULO ANTERIOR DE JACOHRANGERS:

- O IMPÉRIO AKKUMA LANÇA UM ATAQUE DEVASTADOR CONTRA BRAZILIAN TOKYO, OBRIGANDO OS JACOHRANGERS A TRAVAREM UMA DESESPERADA BATALHA DE VIDA OU MORTE.
- OS HERÓIS NÃO POSSUEM PODER SUFICIENTE PARA DERROTAR OS VILÕES: MESMO USANDO O JACÓ CANNON TRÊS VEZES, ELES NÃO CONSEGUEM DESTRUIR GARAK.

O QUE IRÁ ACONTECER?

Curativos eram improvisados às pressas. Pomadas e pós cicatrizantes eram usados em grandes quantidades. Gemidos de dor e lamentação eram constantes, bem como expressões de desânimo e impotência. Daira chegou a derramar lágrimas quando tentou estancar um ferimento em seu ombro.
O que mais angustiava os Jacohrangers era o silêncio do Mestre Jacoh. Ele nada dizia, tampouco revelava em que pensava através do semblante. Shira já tencionava perguntar a ele o que fariam, quando sentiu uma forte tontura ao se levantar. Precisou sentar de novo. Os outros foram acudí-la, mesmo nenhum deles estando muito melhor que ela.

- Vocês precisam descansar.

Era o Mestre Jacoh com um tom seco e monocórdio. Foram suas primeiras palavras desde que retornaram a sua base de operações. Era nítida a preocupação dele com os heróis. Ninguém tinha forças para uma nova batalha, mas também não tinham tempo para dedicarem a uma recuperação plena. Até mesmo discutir parecia cansativo.
Os heróis dirigiram-se a seus quartos, repousando tão curados quanto possível. Poucas palavras foram trocadas entre eles. Sabiam que tinham falhado e não queriam mais falar sobre aquilo. Dormiram, sem saber o que os aguardava.

***

Todos acordaram assustados. Era o maldito alarme, sempre trazendo más notícias. E em horários difíceis. Quando os cinco chegaram ao monitor principal, já vestidos e razoavelmente preparados, já sabiam o que os aguardava: o maldito Império Akkuma iniciara um novo ataque.

Malditos! – gritou Shira.

Nenhum deles tinha se recuperado completamente. Longe disto, na verdade. Grey e Daira manquitolavam. Um corte no supercílio de Murana insistia em se abrir, mesmo com um curativo sobre ele. Mestre Jacoh sabia que não era recomendável que eles se envolvessem em uma batalha de vida ou morte estando naquelas condições, mas Brazilian Tokyo não podia esperar.

- Jacoh Change! – todos gritaram em uníssono.
- Boa sorte! – o velho mestre disse, sabendo que apenas sorte não seria suficiente para que eles fossem bem-sucedidos.

Seria necessário um milagre.

***

Os cinco estavam lá. Contra eles, o monstro Tokage, Rarpoth, Ghitta, Misudan, Garak e Aramuki. Não houve bravatas, ameaças, nem palavras vazias a serem lançadas ao vento. Havia apenas a certeza de que aquela seria a batalha final.
Os Jacohrangers sabiam. Desta vez, ninguém recuaria. O Mestre Jacoh não viria resgatá-los com nenhum jato. Não surgiria nenhum tipo de auxílio externo. Ou venceriam com suas próprias forças, ou morreriam tentando. E que Brazilian Tokyo e toda a Terra os perdoassem caso não conseguissem triunfar.
Aramuki moveu-se em uma velocidade incomparável e golpeou Grey, o Jacohranger cinza. Antes que o jovem se levantasse, e antes que seus colegas viessem em seu auxílio, Garak o atingiu com disparos de energia, enquanto um brilho negro envolveu o corpo do herói, sugando-lhe as poucas forças que tinha.
Ghitta interceptou os outros quatro heróis. Incontáveis soldados Kardler também os cercaram, não permitindo que fossem ajudar seu amigo. Com pressa e certo desespero, Murana e Daira focaram seus golpes nos Kardler, derrotando-os pouco a pouco. Shira e Chairo tomaram a dianteira, atacando Ghitta, que foi surpreendida pela ofensiva inimiga e pediu ajuda ao monstro Tokage.
Os soldados caíram, e logo os quatro Jacohrangers combatiam Ghitta e Tokage. Eles improvisaram uma versão reduzida do Jacó Cannon, com menos poder, e feriram gravemente o monstro. A guerreira maligna revidou com raios e golpes poderosos, derrubando Murana. Chairo fez o possível para deter a vilã, dando a Shira o tempo necessário para combater Tokage. Daira ajudava o herói marrom.
A Jacohranger branca abriu vários talhos na couraça do monstro, estocando-o furiosamente com sua espada. Quando Tokage já estava próximo do fim, usou sua pistola desferir o golpe final. Ele tombou sem vida. Restavam apenas Ghitta, Rarpoth e os três “Flagelos do Universo”.

***

O corpo de Grey, o Jacohranger cinza, foi arremessado e chocou-se contra um muro. A heroína branca correu para acudi-lo. Estava desacordado, porém vivo. Sem escolha, o deixou desmaiado. Com a força que ainda tinha, voltou a combater.
Murana e Daira eram massacradas por Misudan. Em dado momento, ambas acharam que não seriam capazes de se manterem transformadas, mas recusavam-se a se render. Seguiam tentando se defender da forma que podiam.
A magia negra de Rarpoth imobilizava Chairo, que era massacrado por Ghitta. A vilã rasgava a armadura do Jacohranger marrom com suas garras, deixando ferimentos profundos no corpo do herói.

- Onde está Aline, sua desgraçada? O que fez com ela? – ele vociferava.
- Ela está sendo muito bem cuidada – ela ironizava – Não se preocupe.

Mas mesmo com o ódio do Jacohranger marrom se transformando em força, ele não conseguia se libertar da paralisia e seguia sendo golpeado. Talhos foram abertos em várias partes de seu corpo. Ele começou a gritar de tanta dor.
Shira lutava contra Aramuki e Garak ao mesmo tempo. Não conseguia atingí-los, e ainda recebia golpes poderosos. Sua armadura estava quase desaparecendo. Era difícil se manter transformada. Os ataques vinham com ferocidade. Vinham com fúria assassina. Os inimigos não tinham piedade.
Murana fez o possível para distrair Misudan, enquanto Daira atirava com sua pistola em Aramuki. Aquilo permitiu que a Jacohranger branca se recompusesse e ganhasse alguns poucos instantes de fôlego. Os ataques recomeçaram, mas agora a Jacohranger laranja combatia Aramuki, e Shira combatia Garak.
Aquilo não bastou. Mesmo lutando individualmente, todos os heróis estavam levando a pior. Grey recobrou a consciência e fez o possível para combater Rarpoth, deixando Chairo enfrentando apenas Ghitta. Ainda assim, o panorama parecia não mudar. Os cinco Jacohrangers iriam perder.

***

Não estavam mais transformados.

- Jacoh Change! – gritaram todos ao mesmo tempo.

Mas não tinham mais energia para voltarem ao combate. Os cinco caminhavam para trás, como presas acuadas por seus predadores. Em questões de segundos, morreriam. E a Terra, cedo ou tarde, seria destruída.

Então, um dos vilões desferiu o primeiro dos golpes fatais.

As garras de Garak perfuraram o coração de Shira, a Jacohranger branca. Houve um grito de desespero compartilhado pelos outro quatro heróis. Mesmo mancando e com as pernas seriamente feridas, todos correram até sua amiga, sob os olhares jocosos dos vilões. Ajoelharam-se sobre o corpo caído dela.

- Não deixem... – ela falava com dificuldade – o Império Akkuma vencer. Lutem até o fim... Protejam quem vocês amam... Protejam a Terra... Por favor... Protejam...

E Shira, a Jacohranger branca, morreu!

- Não! – todos gritaram.

As lágrimas que brotaram foram tão imediatas, que foi difícil dizer quem começou a chorar primeiro. Os quatro se abraçaram, feridos, chamando pela amiga, implorando a ela que voltasse e que não os abandonasse. Em vão. Chagaram a soluçar, nem se importando mais com a presença dos inimigos e com a morte quase certa que os aguardava.

NO PRÓXIMO CAPÍTULO DE JACOHRANGERS:
つづく
A fúria dos Jacohrangers desperta neles um poder desconhecido, capaz de lhes dar alguma esperança. Ainda assim, o poder dos inimigos é terrível. Não percam no próximo domingo:

EPISÓDIO 10 – A VINGANÇA DOS HERÓIS   

Nenhum comentário:

Postar um comentário