Jacohrangers

Jacohrangers

domingo, 29 de setembro de 2013

EPISÓDIO 16 - O PODER SECRETO DA JOVEM



 EPISÓDIO 16 – O PODER SECRETO DA JOVEM
EPISODE 16 - THE SECRET POWER OF THE YOUNG
挿話 若い女の秘密な力

NO CAPÍTULO ANTERIOR DE JACOHRANGERS:

- O CRUEL IMPÉRIO AKKUMA SE PREPARA PARA REALIZAR UM RITUAL QUE IRÁ “SUPER TRANSFORMAR” O FLAGELO DO UNIVERSO EM SERES AINDA MAIS PODEROSOS. PARA TANTO, SEQUESTRAM MUITAS JOVENS.
- PARALELAMENTE A ISSO, UM MONSTRO NOVO ATACA O LADO OPOSTO DA CIDADE, ATRAINDO PARA LÁ A ATENÇÃO DOS JACOHRANGERS.

O QUE IRÁ ACONTECER?

Daira, Murana e Grey começaram a se lembrar. Recordaram-se das pessoas feridas, das crianças assustadas, das mães que gritavam desesperadas por seus filhos desaparecidos. Pensaram que aquilo continuaria e pioraria infinitamente mais se o Império Akkuma não fosse detido. E então vieram a suas cabeças aquelas cenas.

As cenas da morte de Shira.

Os três heróis se levantaram. Sua fúria parecia incontrolável. Brilhos estranhos surgiram em suas armaduras e suas armas. Avançaram furiosamente em direção ao inimigo, que foi surpreendido e recebeu dezenas de golpes. Kimimatsugahan caiu, extremamente ferido.
Também se levantou e começou a emitir disparos contra os Jacohrangers, que responderam com suas pistolas. O choque das energias gerava violentas explosões.

- Deste jeito vamos destruir esta região da cidade – disse Murana.

Os heróis combinaram seus disparos em uma onda mais poderosa e feriram Kimimatsugahan a ponto de ele não conseguir mais se manter de pé. Vieram mais alguns golpes de espada, até que os Jacohrangers prepararam o golpe final.

- Jacoh Cannon.

Uma quantidade absurda de energia chocou-se contra o corpo do monstro, explodindo-o em milhares de pedaços microscópicos. Os heróis já se preparavam para ir auxiliar Chairo e Mestre Jacoh no lado oposto da cidade, quando Kimimatsugahan renasceu com mais de cinqüenta metros de altura.

- Venha, Densetsu Robotto! – todos gritaram ao mesmo tempo.

O robô gigante veio. E a enorme batalha teve início.

***

Mestre Jacoh e Chairo estavam imobilizados, aprisionados por correntes eletrificadas que emitiam intensas ondas de choque ao menor movimento. Tiveram que se entregar para evitar que as vinte moças ainda aprisionadas fossem assassinadas diante de seus olhos.

- Desgraçados! – era Aramuki – Sua tentativa estúpida de nos deter falhou. Os soldados Kardler logo recapturarão as jovens que vocês soltaram e as trarão aqui. Realizaremos o ritual, sacrificaremos as vidas inúteis delas diante de seus olhos e depois faremos vocês em pedaços, junto com seu planeta sujo e atrasado.
O Jacohranger marrom e seu mestre sabiam que não adiantaria sequer tentar se libertar. Restava-lhes apenas aguardar que os outros heróis chegassem logo para ajudá-los. Do contrário, aquele seria realmente o fim.
Minutos depois, foram chegando os Kardler, trazendo com eles várias moças e as empurrando covardemente. Todas foram novamente algemadas e aprisionadas. Pelas contas de Misudan, só havia noventa e seis mulheres ali. Chairo comemorou em silêncio. A busca por outras três moças lhes daria mais tempo. Um tempo que ele torcia para que fosse suficiente para a chegada de seus amigos.
Mas não foi. Poucos minutos bastaram para que outros Kardler chegassem trazendo pelos cabelos meninas de não mais que quinze anos. Sob protestos escandalosos, choros e muito desespero, elas foram também algemadas e imobilizadas.

O ritual teria início em poucos minutos. E nada de os outros Jacohrangers chegarem.

***

Kimimatsugahan disparava vários raios, todos defendidos pelo Densetsu Escudo. O contra-ataque dos heróis vinha com o Densetsu Míssil e com a Densetsu Espada. O monstro se esquivava. A batalha seguia equilibrada.

- Temos pouco tempo – gritou Daira.

Os três Jacohrangers fizeram o possível para manobrar com maior agilidade o seu robô. Densetsu Robotto começou a atacar com maior velocidade, não permitindo defesa por parte do seu oponente. Kimimatsugahan ainda tentou disparar raios, mas não foi bem sucedido. Os heróis golpearam com sua espada mais algumas vezes antes de desferirem o golpe final.

- Densetsu Chou Ken Hi.

O monstro explodiu. Os Jacohrangers abandonaram seu robô gigante e partiram com muita pressa até o local onde Chairo e o Mestre Jacoh estavam.

***

- Que o ritual comece! – bradou Rarpoth.

Aramuki dirigia-se ao cristal do espaço, quando a pedra começou a brilhar. O rútilo foi ganhando mais e mais intensidade, até que uma verdadeira explosão de luz tomou conta do ambiente. Quando, com muita dificuldade, todos voltaram a enxergar, ninguém acreditava no que via.

- Impossível!

Uma das moças estava solta, ilesa e tinha testa o cristal, que havia diminuído de tamanho. Ele ainda brilhava, mais timidamente, como que demonstrando que seu poder seria usado apenas por aquela jovem. Ela tinha longos cabelos compridos penteados em forma de “franja”, rosto inocente e roupas quase totalmente rasgadas.

- Sou a escolhida do cristal do espaço. Usarei o poder nele contido apenas para o bem.

A voz dela era suave, mas ao mesmo tempo demonstrava autoridade. Do cristal surgiu um novo brilho, cuja luz libertou todas as outras dezenas de jovens presas, incluindo também Chairo e Mestre Jacoh.

- Vocês estão bem? – ela perguntou.
- Sim – era Chairo – Quem é você? Qual o seu nome?
- Eu me chamo Hitomi (ひとみ)!
- Hitomi...?

A garota gesticulou para que as outras moças fugissem dali. Mestre Jacoh entendeu o gesto endereçado a ele e escoltou as jovens. Chairo pôs-se em posição, pois o flagelo do universo e Rarpoth estavam furiosos.

- Jacoh Change!

Transformado, o Jacohranger marrom se colocou em postura combativa, para só então entender que os inimigos pareciam temer a moça. A luz do cristal foi diminuindo gradativamente de intensidade, até desaparecer por completo. Misudan deu um passo a frente.

- Maldita! 
- Chegou a hora de varrer o lixo do universo! – ela deu um passo decidida. Chairo tentou detê-la, mas ela se desvencilhou dele.

Antes que uma batalha começasse, chegaram os outros três Jacohrangers. Ofegantes, mas ainda assim mantendo sua postura combativa. Mestre Jacoh já havia lhes contado o que tinha ocorrido.

- Vejo que temos muitas visitas – era Garak – Pois muito bem. Vocês arruinaram nossa super transformação. Libertaram nossas prisioneiras. Espero que estejam preparados para conhecerem a pior dor do inferno.
- Vocês seqüestraram jovens indefesas. Pretendiam sacrificá-las. Atacaram nossa cidade com seu monstro. Espero que estejam preparados para serem punidos.
- Chega de conversa! – bradou Misudan.
- Tem razão – era Hitomi – Chegou a hora de eu acabar com vocês!

Os Jacohrangers ficaram assustados quando viram o que ia acontecer...
 つづく
NO PRÓXIMO CAPÍTULO DE JACOHRANGERS:

Hitomi se transforma em Jacohranger bege. Ela une-se aos demais heróis e trava uma batalha mortal com o flagelo do universo. Quem vencerá o confronto? Não percam no próximo domingo:

EPISÓDIO 17 – Cinco Jacohrangers.

domingo, 22 de setembro de 2013

EPISÓDIO 15 - IMPEÇAM A SUPER TRANSFORMAÇÃO




EPISÓDIO 15 – IMPEÇAM A SUPER TRANSFORMAÇÃO
EPISODE 15 - STOP THE SUPER TRANSFORMATION
挿話 超変身をふせげ

NO CAPÍTULO ANTERIOR DE JACOHRANGERS:

- OS JACOHRANGERS TRAVAM UMA DURA BATALHA CONTRA O MONSTRO MIENAI, MAS O VENCEM, FAZENDO COM QUE TODAS AS SUAS VÍTIMAS VOLTEM A ENXERGAR.
- UM SOLDADO KARDLER LOCALIZA O CRISTAL DO ESPAÇO E O ENTREGA AO FLAGELO DO UNIVERSO, QUE SE PREPARA PARA REALIZAR A SUPER TRANSFORMAÇÃO.

- Noventa e nove mulheres. Nenhuma delas pode ter sido mãe ainda. Todas precisam ter nascido sob a bênção da lua minguante. O sangue delas deverá banhar o cristal, que será partido em três pedaços. Cada pedaço será colocado em um pequeno buraco que vocês abrirão em seus pulsos. Imediatamente, o cristal passará a agir em seus sistemas nervosos, gerando a transformação. Levará poucos minutos.

Rarpoth dava a eles todas as explicações. Os soldados Kardler já tinham se antecipado àquilo tudo e já haviam partido para seqüestrar as vítimas que o ritual exigiria. Não tardaria para que regressassem com noventa e nove jovens.
- E os Jacohrangers? – Misudan perguntou – Eles certamente tentarão nos impedir.
- Teme os heróis? – o sacerdote fez um gracejo.
- Não diga bobagens! – a resposta foi um tanto quanto exaltada – Apenas acho que devemos estar preparados para detê-los.
- Já pensei nisso e já tomei as providências necessárias para mantê-los ocupados por tempo suficiente para que o ritual possa ser realizado sem grandes problemas.  
- Não vejo porque ficarmos aqui parados aguardando os Kardler trazerem as mulheres. Vamos nós mesmos lá seqüestrá-las para acabarmos logo com isso – era Aramuki.
- Paciência, Aramuki. Paciência – era Misudan – Vamos assistir a interessante distração que Rarpoth preparou para os Jacohrangers.
Um cruel sorriso surgiu nos lábios do feiticeiro.

***
 - Segundo a polícia, já são mais de cinqüenta desaparecimentos – disse Chairo.
- As pessoas desaparecidas parecem ter algo em comum: todas são mulheres consideravelmente jovens – Murana complementou a informação.
- Maldito Império Akkuma! – Daira praguejou.
Mestre Jacoh veio da outra sala com um relatório na mão. Eram notícias mais recentes sobre os desaparecimentos. 
- Não há pistas ainda sobre o paradeiro das moças seqüestradas. Na verdade, a própria polícia não tem certeza se se trata realmente de um seqüestro.
- Mas nós temos – era Chairo.
- Vamos logo procurar! – era Daira.
- Pessoal, esperem! – era Grey. Trazia consigo outro papel – Parece que um ser desconhecido está atacando um bairro no extremo leste da cidade.
- Terá alguma ligação com os desaparecimentos? – Murana pensou em voz alta.
- Não importa. Vamos! – Chairo gritou.
E os heróis partiram.

***
- Jacoh Change!
A Jacohranger púrpura, o cinza e a laranja golpeavam os soldados Kardler com suas espadas. Talhavam, estocavam e nocauteavam velozmente, sabedores de que não havia tempo a perder. Poucos minutos foram necessários para que só restasse o monstro para enfrentá-los.
- Sou Kimimatsugahan – a criatura urrava – E farei deste lugar o túmulo de vocês.
O monstro era uma aberração de formato humanóide, braços e pernas grossas, cabeça coroada por chifres pequenos, rosto monstruoso desfigurado e movimentos velozes. Tinha duas imensas asas, garras ao invés de mãos e uma espada enorme em seu poder.
Grey aproveitou que suas amigas confrontavam o oponente para ir socorrer as pessoas inocentes que tinham sido atacadas há pouco. Felizmente não houve vítimas fatais, mas muitas famílias que passeavam pelo bosque da região ficaram assustadas e feridas. O Jacohranger cinza rapidamente levou todos a um lugar seguro e voltou para auxiliar suas colegas.
Mais soldados surgiram, mas Grey acabou facilmente com todos eles. Kimimatsugahan levava vantagem contra Daira e Murana. Suas espada era mais poderosa que a delas e ele a manejava melhor. Não tardou para que as duas Jacohrangers fossem ao chão, terrivelmente feridas. O herói cinza chegou para ajudá-las, mas também foi rapidamente derrubado pelo monstro. 
- Hora do golpe final!

***
O flagelo do universo estava reunido em uma caverna subterrânea escondida pela inclinação do terreno. Soldados Kardler patrulhavam a área externa daquele local, mas eles foram caindo um a um diante da força de um recém-chegado. Furtivo, o invasor pôde ouvir parte da conversa dos vilões.
- Já contei várias vezes. São exatamente noventa e nove. Podemos começar – a voz era de Aramuki.
As moças eram mantidas presas por algemas e correntes de aço. Seus corpos nus estavam encostados na pedra bruta de um paredão gelado. Todas estavam ainda conscientes, embora algumas exibissem marcas de violência. Nada perto do que lhes aconteceria daquele momento em diante. 
- Comecem a matá-las! – a voz era de Rarpoth, que também indicava qual região do corpo delas deveria ser golpeada para o sucesso do ritual. 
Aramuki já se preparava para iniciar a chacina, quando seu rosto foi atingido por um poderoso raio. Ele caiu para trás, sem entender o que acontecia. Quando todos perceberam que se tratava do Jacohranger marrom, ele já tinha tido tempo de libertar sete garotas.
Chairo disparou mais vezes com sua pistola, inclusive mirando sem sucesso no próprio cristal do espaço. Os servos do Império Akkuma se posicionaram de modo a proteger a pedra preciosa, o que possibilitou que o herói fosse libertando mais e mais moças.
Quando metade já tinha sido libertada, Misudan atacou o Jacohranger marrom.
- Estas mulheres podem ser capturadas novamente. Ou arrumaremos outras. Seus esforços serão inúteis. Somos o Império Akkuma.  
Chairo desferiu mais raios com sua pistola, canalizando mentalmente toda a energia possível para que seu ataque tivesse o poder máximo. Todos ataques refletiram no corpo de Misudan, explodindo no chão. O Jacohranger marrom iniciou uma luta corpo-a-corpo, enquanto um som de turbinas indicava que o Mestre Jacoh tinha chegado com o jato do grupo para libertar as moças e levá-las a um lugar seguro. 
- Como sabia onde estávamos? – Misudan perguntou.
- Sabíamos que vocês planejam executar este ritual e sabiam que tentariam nos distrair com outra coisa para que não viéssemos atrapalhar. Quando surgiu a informação de que um monstro de vocês atacava o leste da cidade, não tivéssemos dúvidas de que o ritual aconteceria a oeste. Vocês nos queriam ocupados e o mais longe possível daqui. Só não contavam que nós adivinhássemos seus planos covardes.
Mestre Jacoh adentrou a caverna. Com uma pistola singela começou a destruir as correntes que prendiam as outras moças e a libertá-las. Mas então, Rarpoth, Aramuki e Garret resolveram interferir.  
- Largue a pistola, velhote, ou as vinte prisioneiras restantes morrerão.
つづく
NO PRÓXIMO CAPÍTULO DE JACOHRANGERS:

Surpreendentemente, o cristal do espaço age por conta própria. Os Jacohrangers tentam impedir que as prisioneiras sejam assassinadas e travam uma batalha violenta contra o flagelo do universo. Não percam no próximo domingo:

EPISÓDIO 16 – O PODER SECRETO DA JOVEM

domingo, 15 de setembro de 2013

EPISÓDIO 14 - O CRISTAL DO ESPAÇO




EPISÓDIO 14 – O CRISTAL DO ESPAÇO
EPISODE 14 - THE SPACE'S CRYSTAL
挿話 宇宙の水晶

NO CAPÍTULO ANTERIOR DE JACOHRANGERS:

- A TERRÍVEL BATALHA ENTRE CHAIRO E GHITTA TERMINA COM A MORTE DA VILÃ.
- DAIRA ACABA REVELANDO SEUS SENTIMENTOS PELO SEU AMIGO CHAIRO, EMBORA SAIBA QUE O CORAÇÃO DELE PERTENÇA À JOVEM ALINE.

O QUE IRÁ ACONTECER?

- Eles são o flagelo do universo. O que se sabe é que são seres oriundos de uma galáxia distante, com poderes terríveis. Corre um boato de que os três indivíduos não teriam despertado ainda seu poder total, aguardando o momento certo para realizar uma espécie de transformação.
- Mas, Mestre Jacoh, qual seria esse “momento certo”? – Murana perguntou.
- Até pouco tempo atrás, não se sabia. Mas após algumas investigações feitas pelo Departamento Espacial de Defesa, acredita-se que seja necessário algum tipo de objeto mágico de grande poder. Um objeto que estaria aqui na Terra. Provavelmente, este seja o motivo dos últimos ataques dos soldados Kardler: eles estão procurando este objeto mágico.
- O que é o Departamento Espacial de Defesa? – desta vez a pergunta veio de Daira.
- É uma organização formada por pessoas como nós, que lutam com as forças que têm para enfrentar os temíveis impérios que assolam nosso universo.
- Quer dizer que existem outros heróis como nós e outros vilões como o Império Akkuma? – Chairo questionou.
- Não exatamente como nós, e não exatamente como o Império Akkuma. O universo não está indefeso, mas também não está livre de perigos. O bem e o mal sempre combaterão. Por isso não devemos nem nos animar demais, nem nos desesperar mais que o necessário. Agora vamos pensar em uma forma de deter os soldados Kardler e impedir a super transformação do “flagelo do universo”.

Os quatro Jacohrangers estavam juntos, sentados com seu mestre, discutindo estratégias e se preparando. Sabiam que o flagelo do universo, em seu estágio de poder atual, já era terrivelmente poderoso. Se realizassem uma transformação que aumentasse suas capacidades, toda a vida na Terra estaria condenada. Deter o plano do Império Akkuma era imprescindível.
Teve início então um grande patrulhamento. Os heróis se revezavam, dividindo-se em turnos nos quais ora faziam a ronda, ora monitoravam a cidade através do computador da base, ora descansavam. Mestre Jacoh fazia um tipo de patrulhamento adicional, checando movimentações suspeitas em regiões estratégicas de Brazilian Tokyo.
Foram cinco dias de muita atenção e trabalho, sem que houvesse qualquer problema. Aquilo era estranho, mas as rondas precisavam continuar. Até que veio o sexto dia. E com ele, um terrível ataque.

***

O monstro se chamava Mienai (見えない) e seus raios magnéticos estavam deixando as pessoas cegas. Dezenas de transeuntes que passavam pelo centro da cidade foram atingidos, indo de um lado a outro gritando em desespero. A presença de dezenas de soldados Kardler gerava ainda mais pânico nas pessoas.
Os heróis chegaram, imediatamente golpeando os inimigos e acudindo as pessoas desprovidas de visão. Grey e Daira se encarregaram de levar a um local um seguro as pessoas desorientadas. Chairo e Murana foram derrubando os Kardler sem grande esforço até ficarem frente a frente com Mienai.

- Jacoh Change! – os quatro gritaram ao mesmo tempo.

Mienai tinha a aparência de um ser humanóide, com três olhos sempre piscando e vários relâmpagos faiscando na ponta de seus dedos. Lutava corporalmente com naturalidade, aparando todos os golpes dos Jacohrangers.
Mais soldados surgiram, obrigando o herói cinza e a heroína púrpura a enfrentá-los. Não foi difícil derrotá-los, mas enquanto batalhavam, o herói marrom e a heroína laranja eram espancados. Só então os quatro puderam se unir e lançar um ataque conjunto contra o monstro.
Na batalha corpo-a-corpo, os Jacohrangers levavam a pior, então sacaram suas armas. Intercalaram golpes de espada com tiros de suas pistolas, ferindo um pouco Mienai. Mas ele também defletiu energia e esquivou de muitas investidas.

Foi então que Chairo se lembrou.

Lembrou-se do sorriso de Aline, que ele não sabia se um dia poderia ver de novo. Lembrou-se de sua amiga Shira, que ele sabia que não poderia ver de novo. Lembrou-se daquelas pessoas que tinham perdido a visão devido à crueldade de Mienai. Lembrou da moça grávida que o Densetsu Robotto quase teve que matar para destruir um monstro gigante. E teve a certeza que aquilo continuaria de o Império Akkuma não fosse detido.

E se enfureceu.

O corpo do Jacohranger marrom se moveu em uma velocidade sobrenatural, não permitindo que o monstro se defendesse. Vários talhos foram abertos e Mienai sangrou. Compartilhando do mesmo ódio que Chairo, os demais heróis também conseguiram atingir aquele nível de agilidade. Golpearam violentamente o inimigo o fazendo quase cair desacordado.

- Hora do golpe final! – Murana gritou.
- Jacoh Cannon! – todos disseram ao mesmo tempo.

Uma onda de energia incrivelmente poderosa despedaçou Mienai, fazendo as pessoas cegas voltarem a enxergar. Não demorou a que as cinzas do monstro fossem atingidas por uma enigmática força sobrenatural. O monstro voltou a vida, adquirindo um tamanho de mais de cinqüenta e cinco metros de altura.

- Venha nos ajudar, Densetsu Robotto! – gritou o Jacohranger marrom.

E a batalha gigante teve início.

***

Em meio à balbúrdia da batalha, o sorriso de satisfação de Aramuki.

- Então, este é o incrivelmente poderoso cristal do espaço? É realmente de um brilho muito bonito.

O soldado Kardler que o havia trazido fez uma mesura e se retirou. Todos os membros do Império Akkuma fizeram o mesmo. Deixariam que Mienai travasse sua batalha, pois tinham algo mais importante para resolver.

***

Os raios de luz de Mienai não cegavam o Densetsu Robotto, mas atrapalhavam seus movimentos, deixando-o mais lento. A criatura atacava com grande violência e os heróis respondiam com igual brutalidade. Mas havia equilíbrio no confronto.
Os Jacohrangers usaram o Densetsu Míssil e atingiram os olhos de Mienai, desorientando-o. O robô empunhou sua imensa espada e começou a rasgar o corpo do monstro derrubando-o. A criatura tentou contra-atacar com raios diversos, mas o Densetsu Escudo bloqueou a energia.
Quando Mienai não teve mais forças para se levantar, os Jacohrangers desferiram o golpe final.

- Densetsu Chou Ken Hi!

E Mienai foi destruído.

***

- Já chequei no hospital – disse Grey – Todas as pessoas que tinham sido afetadas por Mienai voltaram a enxergar normalmente. Já voltaram a seus lares. Tudo voltou à normalidade.
- Que bom! – era Murana.
- Não sei temos algo a comemorar – a voz do Mestre Jacoh estava terrivelmente soturna.
- O que aconteceu? – Chairo parecia já adivinhar.
- Eles encontraram. Encontraram o cristal do espaço. O flagelo do universo está prestes a passar por uma transformação que os tornará infinitamente mais poderosos.

Todos se calaram em sinal de preocupação e desespero.

- Há algo que possa ser feito para impedir esta transformação? – o Jacohranger marrom perguntou.
- Sim. Mas não será fácil.

Os quatro não se importaram. Não se renderiam.
 つづく
NO PRÓXIMO CAPÍTULO DE JACOHRANGERS:

O flagelo do universo precisa realizar um ritual para se transformarem. Os Jacohrangers correm contra o tempo não permitir. Não percam no próximo domingo:

EPISÓDIO 15 – IMPEÇAM A SUPER-TRANSFORMAÇÃO!

domingo, 8 de setembro de 2013

EPISÓDIO 13 - GHITTA MORRE




EPISÓDIO 13 – GHITTA MORRE
EPISODE 13 GHITTA DIES
挿話 ギッタは死ぬ 



NO CAPÍTULO ANTERIOR DE JACOHRANGERS:

- MURANA, DAIRO E GREY CONSEGUEM USAR O JACOH CANNON COM ENERGIA SUFICIENTE PARA DESTRUIR O MONSTRO INIMIGO.
- CHAIRO TRAVA UMA BATALHA MORTAL E PESSOAL COM A TERRÍVEL GHITTA. O CONFRONTO ESTÁ PRESTES A ATINGIR SEU CLÍMAX.

O QUE IRÁ ACONTECER?

Ambos se golpearam ao mesmo tempo, os corpos caíram em lados opostos. Gritaram em uníssono, rivalizando com o som dos talhos que foram abertos. Manchas de sangue cresceram na mesma proporção sob Chairo e Ghitta.
Por segundos que pareceram séculos, houve a expectativa por parte dos demais Jacohrangers sobre qual deles tinha sido mais ferido. Qual deles tinha vencido. Qual deles sobreviveria. Era possível notar ambos fazendo um grande esforço para se mover, mas sem sucesso. Parecia que os dois morreriam.

- Chairo! Seja forte! – gritou Daira, às lágrimas, correndo em direção ao rapaz e sendo imediatamente seguida por seus colegas.

Os três chegaram até o Jacohranger marrom. Ele já estava destransformado e sangrava bastante. Um gigantesco talho fora aberto em seu abdômen, além de ele ter sofrido vários outros ferimentos menores. Estava terrivelmente enfraquecido, mas não parecia que iria morrer.

- Ghitta... – ele balbuciou – Ghitta ainda está viva. Preciso... Dar o golpe final...

Grey e Murana levantaram seu amigo, amparando-o e caminhando com ele até onde a vilã cuspia sangue e se encontrava remoendo-se de dor. Daira secou as lágrimas com as costas das mãos e se acalmou. Chairo estava bem. Ou, ao menos, não estava tão mal.

- Você vai me pagar! – era o herói marrom.

Chairo mantinha-se de pé a muito custo. Ghitta estava caída no chão, os lábios arroxeados, o peito aberto por uma estocada poderosa. Sangue escorria por todos os lados. Mesmo assim, ela parecia ainda ter forças para falar.

- Mate-me... Mate-me... Idiota – as palavras saíam entrecortadas e com dificuldade – Você jamais saberá... Jamais encontrará... Aquela garota...

A lâmina da espada de Chairo, já pronta para o golpe derradeiro, recuou. A arma caiu no chão e o herói marrom deu um passo para trás. Ele suou frio e teve que ser amparado por seus colegas para não cair novamente.

- Maldita! Onde ela está? Diga! – ele gritou, com a voz embargada e em meio a lágrimas.
- Jamais saberá... Misudan... Está... Cuidando muito bem dela...

Uma lâmina perguntou o pescoço da vilã, ceifando sua vida rapidamente. Murana e Daira viraram os rostos, assustadas, surpresas com aquele ato de violência repentino. Não esperavam aquilo de Chairo, mas meio que compreendiam sua revolta. A vida de Aline corria mais perigo do que nunca.

- Espero que apodreça no inferno! – ele gritou.

E depois caiu de joelhos e começou a chorar compulsivamente.

***

O local que servia de quartel-general aos Jacohrangers tinha uma infra-estrutura considerável. Havia sido ampliado recentemente, recebendo novos equipamentos, mais tecnologia e mais espaço para diversas atividades.
Em uma das salas novas, Chairo repousava. Fora-lhe oferecido o que mais moderno havia em nível de medicamentos e curativos. Em poucas horas já estaria pronto para voltar à ativa. Como já era noite, o mais provável era que, após uma boa noite de sono ele já pudesse se considerar totalmente curado.
Grey já tinha ido dormir. Murana e Daira dialogavam com o Mestre Jacoh sobre tudo que havia acontecido. No entanto, a conversa acabou tomando outros rumos.

- Gosta muito dele, não é? – Murana sorriu ao perguntar aquilo para Daira.
- Como assim? “Dele”? Quem?
- Do Chairo, ora bolas! Acho que Brazilian Tokyo inteira já percebeu.
- O que? Como assim? Isso é sério?

Mestre Jacoh e Murana riram da timidez da amiga. Aquele sentimento puro era algo que merecia ser preservado. Era mais um dos motivos pelos quais o Império Akkuma precisava ser destruído o quanto antes.

- Mas ele ama outra pessoa – a Jacohranger laranja balbuciou – E o pior é que ele está sofrendo muito com isso. Queria poder ajudá-lo – ela não conseguiu continuar...
- A geração passada de Jacohrangers também teve problemas com o amor. Se já não fosse um assunto complicado por si só, nossos inimigos ainda usam isso contra nós. São uns covardes!
- Vocês acham que Aline ainda está viva? – a voz de Murana era sombria.
- Quero acreditar que sim – Mestre Jacoh foi taxativo – Ela é mais útil para eles viva do que morta. O problema é que não sabemos como ela está sendo tratada. E de que maneira irão usá-la para atingir Chairo e a nós.
- Alguma idéia de como localizá-la, Mestre? – perguntou Murana.
- Estou trabalhando nisso. Mas devo demorar alguns dias para resolver essa situação.

Daira ficou curiosa. Queria saber o que Mestre Jacoh tinha em mente para resgatar Aline, mesmo que o retorno da garota significasse o fim de suas chances com Chairo. O que a Jacohranger laranja mais queria, no fundo, era que seu amado voltasse a sorrir.

- Vocês devem fazer o possível para manter Chairo calmo e concentrado na missão de vocês – disse o Mestre, tirando-a de seus devaneios.
- Pode deixar! – as duas disseram quase ao mesmo tempo.

Ambas foram para seus aposentos. Mas só Murana conseguiu dormir.

***

- O que pretende fazer com ela? – era Aramuki.
- Nada! – Misudan respondeu com uma indiferença constrangedora – Mantê-la presa já é o bastante para deixar aquele garoto enlouquecido. No momento certo, ela será usada contra ele.
- Sei que não deve lhe interessar, mas Ghitta foi destruída por este “garoto” que você tanto subestima.
- Era uma inútil. Não fará falta. Quanto ao garoto, reconheço que ele tem potencial. Mas agora os heróis são apenas quatro. E nós ainda não passamos por nossa metamorfose. No momento oportuno, eu mesmo acabarei com os quatro Jacohrangers.
- As ordens do Imperador são de continuar enviando pequenos grupos de soldados Kardler. Acabei de enviar duas para o centro da cidade. Tem alguma idéia do por que disto?
- Até onde sei, Aramuki, eles estão todos imbuídos de um dispositivo de localização. Nosso Imperador procura alguma coisa nesta cidade. Mas não me pergunte o que. A escolha dos Kardler para fazer a busca é porque eles são tão insignificantes que não levantariam suspeitas. O que tem funcionado, já que os Jacohrangers nem suspeitam de nada.
- Entendo.

Aramuki apenas olhou com desprezo para a cela suja em que Aline era mantida prisioneira. Emitiu uma sonora cusparada e se retirou. Misudan fez o mesmo. Encontraram Rarpoth minutos mais tarde. O feiticeiro os abordou.

- Nosso Imperador ordenou que o monstro Akazamu inicie seu ataque!
- Akazamu? – Misudan foi irônico – Parece que nosso Imperador está realmente com pressa de conquistar este mundo miserável.
- Sim. Akazamu deve ser capaz de executar nosso próximo plano, mas nosso Imperador solicita que um de vocês se prontifique a ajudá-lo, caso os Jacohrangers atrapalhem.

Misudan e Aramuki se entreolharam. Ambos emitiram um sorriso escarninho.

- Se for necessário, um de nós intervirá – era Aramuki – Não se preocupe.

E ambos saíram gargalhando.

***

- Preciso avisar os Jacohrangers o quanto antes! – o Mestre Jacoh tremia.
つづく
NO PRÓXIMO CAPÍTULO DE JACOHRANGERS:

Os heróis descobrem que o motivo do ataque dos soldados Kardler e precisam impedir o andamento de um terrível plano. Não percam no próximo domingo:

EPISÓDIO 14 – O CRISTAL DO ESPAÇO

domingo, 1 de setembro de 2013

EPISÓDIO 12 - CHAIRO CONTRA GHITTA




EPISÓDIO 12 – CHAIRO CONTRA GHITTA
EPISODE 12 CHAIRO AGAINST GHITTA

挿話ギッタに対してチャイロ



NO CAPÍTULO ANTERIOR DE JACOHRANGERS:

- OS JACOHRANGERS CUMPREM A DOLOROSA MISSÃO DE ENTERRAR SUA AMIGA SHIRA. A DOR É TERRÍVEL.
- BRAZILIAN TOKYO SOFRE O CONSTANTE ATAQUE DE PEQUENAS TROPAS DE SOLDADOS KARDLER, FAZENDO OS HERÓIS SE PERGUNTAREM: “SE O IMPÉRIO AKKUMA TEM TANTOS GUERREIROS PODEROSOS, POR QUE ESTÃO ENVIANDO AO COMBATE APENAS OS MAIS FRACOS?”.

O QUE IRÁ ACONTECER?

O Jacohranger marrom era o único transformado. Seus amigos tiveram muito trabalho para impedi-lo de partir sozinho. O próprio Mestre Jacoh teve que agir para detê-lo. Chairo quase agrediu seus próprios amigos.

- É uma armadilha! Você não percebe? – Daira gritou e havia um resquício de desespero em sua voz.
- Não podemos ficar aqui parados mesmo assim! – ele respondia, furioso – Há uma vida correndo perigo.
- Você tem que manter a calma! – era Murana.
- Como posso ficar calmo diante de uma situação dessas?

Mestre Jacoh desferiu um violento soco no rosto de seu pupilo. Mesmo com o traje de Jacohranger, Chairo foi ao chão.

- Idiota! Acha que vamos deixar a menina morrer? Acha que seus amigos não irão ajudá-lo? Acha que não sabemos que você sabe que é uma armadilha? Só estamos pedindo que você se acalme. Se não estiver calmo, morrerá. Não percebe isso?

O herói marrom se destransformou e respirou fundo. Lágrimas vieram. “Queria que Shira estivesse aqui. Ela saberia o que fazer e o que me dizer”, ele pensou, mas não quis dizer aquilo a seus amigos para não entristecê-los.

- Pense em alguma forma de surpreender Ghitta. Uma maneira de não ser derrotado pelas armadilhas que ela certamente preparou. E quando estiver com a mente mais tranqüila e consciente, vá com seus amigos. Vá e derrote o maldito Império Akkuma!

Daira, Murana e Grey assentiram com um sorriso determinado. Chairo se levantou e respirou com mais tranqüilidade. Os quatro fitaram o Mestre Jacoh, que fez um aceno com sua cabeça. 

- Pode me aguardar, Ghitta! Estou indo aí matá-la! – Chairo disse com confiança.
- Jacoh Change!

Mestre Jacoh sorriu com satisfação. Estava sendo preciso que eles passassem por várias crises para amadurecerem. Mas, enfim, pareciam estar prontos.

***

O lugar escolhido era uma colina desabitada, nos limites de Brazilian Tokyo. Espaçosa o bastante para abrigar um grande número de guerreiros, era um local aberto, onde não seria possível fazer tocaias, ou qualquer tipo de ataque covarde.

- Apareça, Ghitta! Apareça!

Poucos segundos depois, uma gargalhada demoníaca pôde ser ouvida ecoando por toda a região. Os primeiros a aparecerem foram os soldados Kardler. Dezenas. Centenas. Pareciam não parar de surgir.
Os heróis logo foram destruindo todos eles. A inferioridade numérica tornou o confronto mais cansativo, certamente uma estratégia da maldita Ghitta para enfraquecê-los. De qualquer forma, os Kardler logo caíram sem causar grandes danos aos Jacohrangers.

- Apareça, Ghitta! Vai ficar se escondendo atrás de seus soldadinhos até quando?

Ela apareceu. Ao seu lado, um monstro guerreiro de nome Debadan e mais soldados. Ghitta deixou que seus pares lutassem contra os Jacohrangers púrpura, laranja e cinza. Ela lutaria contra Chairo. Sozinha.

- Onde está Aline? – o herói marrom vociferou.
- Ainda está viva, se é isso que quer saber.
- Eu perguntei onde ela está?
- Eu não a trouxe. Eu chamei você aqui para morrer!
- O que?
- Achou que isto aqui era uma cilada? Que eu havia trazido ela até aqui para te chantagear? Idiota! Ela continua presa em um local inacessível. Chamei você até aqui para te matar.
- Eu matarei você primeiro, sua covarde.
- Se me matar, jamais descobrirá onde está sua querida amiga! – ela gargalhou.

Chairo hesitou por um instante. E Ghitta se aproveitou para atacá-lo.

***

Os Kardler foram derrotados sem grande esforço e sem que os heróis sequer precisassem usar suas armas. Debadan tinha asas coriáceas e uma tromba comprida e afiada, em uma bizarra mistura de vários animais terrestres. Usava seu corpo estranho para golpear os Jacohrangers de várias formas. Os três se viram obrigados a sacarem suas espadas.

- É muito poderoso! – disse Murana.

O aço dos heróis abriu talhos no corpo do monstro, que contra-atacava estocando com sua cauda a armadura de seus oponentes. Visando se proteger das investidas de Debadan, os Jacohrangers saltaram alguns metros para trás e dispararam com suas pistolas.

- É agora! – Daira gritou.

Os heróis aproveitaram que o monstro estava atordoado para realizarem um violento ataque conjunto. As espadas rasgaram e perfuraram, gerando várias explosões no corpo do monstro, que tombou, apenas aguardando o golpe final.

- Vamos usar o Jacoh Cannon! – era a heroína laranja.
- Temos poder para fazer isso só nós três? – a Jacohranger púrpura perguntou.
- Só saberemos se tentarmos.

E dispararam com o canhão, destruindo o monstro.

***

Ghitta golpeava Chairo com fúria, rasgando sua armadura e perfurando partes de seu corpo. O Jacohranger marrom chegou a ir ao chão desacordado, arremessado a metros de distância de sua inimiga.
Enfraquecido, fechou os olhos e pensou em Aline. Em seu sorriso gentil, em seu olhar que brilhava mais que o sol em uma tarde de primavera. Pensou no que aconteceria com ela se ele perdesse. Recusou-se a se dar por vencido e se levantou. Sacou sua espada e avançou.
A lâmina encontrou bloqueio nas garras de Ghitta, para em seguida errar o alvo devido á velocidade da inimiga. A vilã tentou contra-atacar, mas não conseguiu, pois Chairo a tinha acuado com seus golpes incessantes. Logo, ele não resistiria.
O Jacohranger marrom chegou a golpear a vilã no ventre, perfurando-o. A espada foi retirada em seguida, pois Ghitta teve forças para atingí-lo com um soco muito forte. Do abdômen da vilã saía um líquido azul gosmento. E de seus olhos, um raio incrivelmente potente partiu, praticamente explodindo Chairo.
Os demais heróis viram aquilo com preocupação. Fizeram menção de ir acudir seu amigo, mas viram que ele já se levantava. Além disso, aquela batalha era dele. Apenas dele. Não deviam interferir.

- Vou matá-la, Ghitta! Vou matá-la e ensinar a seu império maldito que vocês não têm o direito de brincar com as vidas dos seres humanos.
- Bobagem.

Os dois sangravam, mancavam e exibiam marcas de violência. Mais do que o desejo dela de destruir o mundo, e dele de defender a Terra, ficava clara a existência de um ódio particular, algo só deles. Por isso, não haveria interferências.
Ambos partiram em direção um do outro. Desfeririam o golpe final. Após aqueles violentos movimentos ofensivos, provavelmente só um sobreviveria. Os demais Jacohrangers se olharam apreensivos. Seria um momento decisivo.

- Morra, Ghitta!
- Morra, Chairo!

NO PRÓXIMO CAPÍTULO DE JACOHRANGERS:

O Jacohranger marrom derrota Ghitta, mas continua sem saber onde Aline se encontra. O que o Império Akkuma fará com ela? Não percam no próximo domingo:
 つづく
EPISÓDIO 13 – GHITTA MORRE!