Jacohrangers

Jacohrangers

domingo, 1 de setembro de 2013

EPISÓDIO 12 - CHAIRO CONTRA GHITTA




EPISÓDIO 12 – CHAIRO CONTRA GHITTA
EPISODE 12 CHAIRO AGAINST GHITTA

挿話ギッタに対してチャイロ



NO CAPÍTULO ANTERIOR DE JACOHRANGERS:

- OS JACOHRANGERS CUMPREM A DOLOROSA MISSÃO DE ENTERRAR SUA AMIGA SHIRA. A DOR É TERRÍVEL.
- BRAZILIAN TOKYO SOFRE O CONSTANTE ATAQUE DE PEQUENAS TROPAS DE SOLDADOS KARDLER, FAZENDO OS HERÓIS SE PERGUNTAREM: “SE O IMPÉRIO AKKUMA TEM TANTOS GUERREIROS PODEROSOS, POR QUE ESTÃO ENVIANDO AO COMBATE APENAS OS MAIS FRACOS?”.

O QUE IRÁ ACONTECER?

O Jacohranger marrom era o único transformado. Seus amigos tiveram muito trabalho para impedi-lo de partir sozinho. O próprio Mestre Jacoh teve que agir para detê-lo. Chairo quase agrediu seus próprios amigos.

- É uma armadilha! Você não percebe? – Daira gritou e havia um resquício de desespero em sua voz.
- Não podemos ficar aqui parados mesmo assim! – ele respondia, furioso – Há uma vida correndo perigo.
- Você tem que manter a calma! – era Murana.
- Como posso ficar calmo diante de uma situação dessas?

Mestre Jacoh desferiu um violento soco no rosto de seu pupilo. Mesmo com o traje de Jacohranger, Chairo foi ao chão.

- Idiota! Acha que vamos deixar a menina morrer? Acha que seus amigos não irão ajudá-lo? Acha que não sabemos que você sabe que é uma armadilha? Só estamos pedindo que você se acalme. Se não estiver calmo, morrerá. Não percebe isso?

O herói marrom se destransformou e respirou fundo. Lágrimas vieram. “Queria que Shira estivesse aqui. Ela saberia o que fazer e o que me dizer”, ele pensou, mas não quis dizer aquilo a seus amigos para não entristecê-los.

- Pense em alguma forma de surpreender Ghitta. Uma maneira de não ser derrotado pelas armadilhas que ela certamente preparou. E quando estiver com a mente mais tranqüila e consciente, vá com seus amigos. Vá e derrote o maldito Império Akkuma!

Daira, Murana e Grey assentiram com um sorriso determinado. Chairo se levantou e respirou com mais tranqüilidade. Os quatro fitaram o Mestre Jacoh, que fez um aceno com sua cabeça. 

- Pode me aguardar, Ghitta! Estou indo aí matá-la! – Chairo disse com confiança.
- Jacoh Change!

Mestre Jacoh sorriu com satisfação. Estava sendo preciso que eles passassem por várias crises para amadurecerem. Mas, enfim, pareciam estar prontos.

***

O lugar escolhido era uma colina desabitada, nos limites de Brazilian Tokyo. Espaçosa o bastante para abrigar um grande número de guerreiros, era um local aberto, onde não seria possível fazer tocaias, ou qualquer tipo de ataque covarde.

- Apareça, Ghitta! Apareça!

Poucos segundos depois, uma gargalhada demoníaca pôde ser ouvida ecoando por toda a região. Os primeiros a aparecerem foram os soldados Kardler. Dezenas. Centenas. Pareciam não parar de surgir.
Os heróis logo foram destruindo todos eles. A inferioridade numérica tornou o confronto mais cansativo, certamente uma estratégia da maldita Ghitta para enfraquecê-los. De qualquer forma, os Kardler logo caíram sem causar grandes danos aos Jacohrangers.

- Apareça, Ghitta! Vai ficar se escondendo atrás de seus soldadinhos até quando?

Ela apareceu. Ao seu lado, um monstro guerreiro de nome Debadan e mais soldados. Ghitta deixou que seus pares lutassem contra os Jacohrangers púrpura, laranja e cinza. Ela lutaria contra Chairo. Sozinha.

- Onde está Aline? – o herói marrom vociferou.
- Ainda está viva, se é isso que quer saber.
- Eu perguntei onde ela está?
- Eu não a trouxe. Eu chamei você aqui para morrer!
- O que?
- Achou que isto aqui era uma cilada? Que eu havia trazido ela até aqui para te chantagear? Idiota! Ela continua presa em um local inacessível. Chamei você até aqui para te matar.
- Eu matarei você primeiro, sua covarde.
- Se me matar, jamais descobrirá onde está sua querida amiga! – ela gargalhou.

Chairo hesitou por um instante. E Ghitta se aproveitou para atacá-lo.

***

Os Kardler foram derrotados sem grande esforço e sem que os heróis sequer precisassem usar suas armas. Debadan tinha asas coriáceas e uma tromba comprida e afiada, em uma bizarra mistura de vários animais terrestres. Usava seu corpo estranho para golpear os Jacohrangers de várias formas. Os três se viram obrigados a sacarem suas espadas.

- É muito poderoso! – disse Murana.

O aço dos heróis abriu talhos no corpo do monstro, que contra-atacava estocando com sua cauda a armadura de seus oponentes. Visando se proteger das investidas de Debadan, os Jacohrangers saltaram alguns metros para trás e dispararam com suas pistolas.

- É agora! – Daira gritou.

Os heróis aproveitaram que o monstro estava atordoado para realizarem um violento ataque conjunto. As espadas rasgaram e perfuraram, gerando várias explosões no corpo do monstro, que tombou, apenas aguardando o golpe final.

- Vamos usar o Jacoh Cannon! – era a heroína laranja.
- Temos poder para fazer isso só nós três? – a Jacohranger púrpura perguntou.
- Só saberemos se tentarmos.

E dispararam com o canhão, destruindo o monstro.

***

Ghitta golpeava Chairo com fúria, rasgando sua armadura e perfurando partes de seu corpo. O Jacohranger marrom chegou a ir ao chão desacordado, arremessado a metros de distância de sua inimiga.
Enfraquecido, fechou os olhos e pensou em Aline. Em seu sorriso gentil, em seu olhar que brilhava mais que o sol em uma tarde de primavera. Pensou no que aconteceria com ela se ele perdesse. Recusou-se a se dar por vencido e se levantou. Sacou sua espada e avançou.
A lâmina encontrou bloqueio nas garras de Ghitta, para em seguida errar o alvo devido á velocidade da inimiga. A vilã tentou contra-atacar, mas não conseguiu, pois Chairo a tinha acuado com seus golpes incessantes. Logo, ele não resistiria.
O Jacohranger marrom chegou a golpear a vilã no ventre, perfurando-o. A espada foi retirada em seguida, pois Ghitta teve forças para atingí-lo com um soco muito forte. Do abdômen da vilã saía um líquido azul gosmento. E de seus olhos, um raio incrivelmente potente partiu, praticamente explodindo Chairo.
Os demais heróis viram aquilo com preocupação. Fizeram menção de ir acudir seu amigo, mas viram que ele já se levantava. Além disso, aquela batalha era dele. Apenas dele. Não deviam interferir.

- Vou matá-la, Ghitta! Vou matá-la e ensinar a seu império maldito que vocês não têm o direito de brincar com as vidas dos seres humanos.
- Bobagem.

Os dois sangravam, mancavam e exibiam marcas de violência. Mais do que o desejo dela de destruir o mundo, e dele de defender a Terra, ficava clara a existência de um ódio particular, algo só deles. Por isso, não haveria interferências.
Ambos partiram em direção um do outro. Desfeririam o golpe final. Após aqueles violentos movimentos ofensivos, provavelmente só um sobreviveria. Os demais Jacohrangers se olharam apreensivos. Seria um momento decisivo.

- Morra, Ghitta!
- Morra, Chairo!

NO PRÓXIMO CAPÍTULO DE JACOHRANGERS:

O Jacohranger marrom derrota Ghitta, mas continua sem saber onde Aline se encontra. O que o Império Akkuma fará com ela? Não percam no próximo domingo:
 つづく
EPISÓDIO 13 – GHITTA MORRE!

Nenhum comentário:

Postar um comentário