Jacohrangers

Jacohrangers

domingo, 10 de novembro de 2013

EPISÓDIO 21 - O DEPARTAMENTO ESPACIAL DE DEFESA


EPISÓDIO 21 – O DEPARTAMENTO ESPACIAL DE DEFESA

NO CAPÍTULO ANTERIOR DE JACOHRANGERS:

- COM A DESTRUIÇÃO DO DENSETSU ROBOTTO, CHAIRO E O MESTRE JACOH PARTEM EM UMA JORNADA ENIGMÁTICA RUMO ÀQUILO QUE PODE, TALVEZ, SALVAR OS JACOHRANGERS, A TERRA E TODO O UNIVERSO.
- OS DEMAIS HERÓIS COMBATEM O MONSTRO RIZZARDO, MAS APESAR DE TODOS OS SEUS ESFORÇOS, NÃO CONSEGUEM IMPEDÍ-LO DE FICAR GIGANTESCO.

O QUE IRÁ ACONTECER?

- O Departamento Espacial de Defesa localiza-se em um vórtice dimensional, próximo à órbita de do planeta Saturno. Ele é oculto graças a uma avançadíssima tecnologia que o torna invisível aos radares inimigos. O departamento reúne os maiores indivíduos e os mais capacitados de cada planeta: guerreiros, cientistas, engenheiros e seres com poderes especiais. Todos eles, por algum motivo, combatem a tirania não apenas do Império Akkuma, mas de todos os outros impérios espaciais malignos que infestam o universo.
- E eles são muitos? – Chairo estava sinceramente curioso.
- Mais do que você pode imaginar.
- E o que vamos encontrar exatamente no Departamento Espacial de Defesa?
- Um gigantesco complexo que conta com a tecnologia mais avançada não apenas de nossa galáxia, mas de todo universo.
- Eu quis dizer, Mestre Jacoh, o que estamos indo buscar lá?

A resposta foi um sorriso que parecia pedir ao pupilo mais um pouco de paciência. Chairo se conformou e apenas vislumbrou parte daquilo que era possível ver da cabine de sua nave. Era impensável para ele aceitar que estava viajando para fora da Terra. Passou boa parte do percurso boquiaberto.

- Nossa viagem será curta, por isso você não poderá ver muita coisa do espaço. Mas o pouco que você verá servirá para lhe dar uma pequena amostra de como nosso universo é maravilhoso. A beleza dele se estender muito além do poder de descrição das palavras. E é por isso que devemos protegê-lo. Se o Império Akkuma vencer, tudo isto e todo o resto que você não viu desaparecerão para sempre.
- O Império Akkuma não vencerá! Os Jacohrangers não irão perder.

Mestre Jacoh emitiu um sorriso triste. Ele, mais do que ninguém, queria acreditar naquilo. Mas não conseguia.
Estavam próximos de seu destino. Já era possível ver uma impressionante infra-estrutura formada por torres e construções exóticas. Naves espaciais de formatos impensáveis tiravam a atenção dos soldados armados com armas lasers inexistentes na Terra. Formas de vida completamente estranhas cumprimentaram Mestre Jacoh e Chairo quando estes desceram.

- Precisamos falar com urgência com o Alto Comando!

Um soldado que rondava as cercanias do local destinado a ser uma espécie de “estacionamento” se encarregou de se dirigir até onde estavam os indivíduos que o Mestre Jacoh procurava. Em poucos minutos voltou, fazendo sinal para que o velho mestre dos Jacohrangers o seguisse. Chairo foi junto.
Chegaram a uma espécie de complexo de construções destinada a reunião e treinamento de defensores da justiça. Outra construção, maior, mas mais discreta, parecia muito ser um tipo de depósito de armas. Aquilo interessou ao Jacohranger marrom.
Dois indivíduos de aparência parcialmente humanóide cumprimentaram o Mestre Jacoh com um sinal característico que Chairo não entendeu. Foram levados a uma sala mais isolada. E a conversa, enfim, teve início.

- Peço desculpas pelo atraso no envio dos últimos relatórios, Supremo Comandante – Mestre Jacoh disse – No entanto, as batalhas contra o Império Akkuma estão cada vez mais terríveis. A propósito, este é Chairo, o Jacohranger marrom e líder do grupo.

O jovem cumprimentou o Supremo Comandante tentando reproduzir o gesto que vira há pouco, mas falhou miseravelmente. Todos teriam rido se o universo não estivesse passando por uma grave crise.

- As notícias não são boas, Jacoh! Há informações de que dois sistemas planetários muito próximos ao Sistema Solar estão muito próximos da extinção. Alguns poucos povos tentaram preservar suas vidas através da rendição, mas nem assim foram poupados. Parece que este é um inimigo que não faz prisioneiros.
- Espero que as forças que dispomos possam salvar o pouco que resta de nossa galáxia.
- Eu também, Jacoh! Mas me diga o que houve e por que veio até aqui junto a um Jacohranger? Pensei que o combate ao Império Akkuma estivesse tomando todo o tempo de vocês.
- E de fato está, Supremo Comandante. No entanto, viemos porque precisamos de uma grande ajuda do Departamento Espacial de Defesa. Uma ajuda da qual depende o futuro de nosso planeta.
- Diga, Jacoh!

E o Mestre Jacoh contou ao Supremo Comandante do Departamento Espacial de Defesa o que havia ocorrido. E recebeu um “não” como resposta...

***

- Perdoe-me, mas preciso insistir, Supremo Comandante! Lembre-se do Tratado Inicial. Cada planeta tinha direito a usar uma das máquinas de guerra de que o Departamento dispunha. A Terra solicita pela primeira vez aquilo que lhe é de direito.
- Não podem nos deixar ser destruídos se está ao alcance de vocês evitar! – Chairo vociferou.
- As coisas, infelizmente, não são tão simples quanto vocês querem fazer parecer, meus amigos! Há um motivo que me leva a lhes negar o que me pedem. Algo que sai da minha alçada.
- E o que é, Supremo Comandante? – Chairo perguntou – Peço que nos conte!

O Supremo Comandante tinha no rosto uma expressão de desespero. Mestre Jacoh e o Jacohranger marrom logo entenderam se tratar de alguma péssima notícia, mas não faziam idéia do que se tratava. Cada segundo de espera foi uma grande angústia. Até que finalmente vieram as palavras.

- A máquina de guerra que destinamos à Terra em caso de emergência precisou ser usada em tempos recentes, sofreu avarias e não temos certeza se foi consertada adequadamente. Ela pode não funcionar direito. Pode não ser forte o bastante. Não temos como nos certificar que ela realmente poderá ser útil. E se ela entrar em pane quando vocês estiverem combatendo um inimigo poderoso. Eu seria um irresponsável se permitisse que vocês a usassem nestas condições!

Mestre Jacoh e Chairo respiraram aliviados. Naturalmente, aquelas não eram as melhores notícias do mundo, mas face ao que chegaram a imaginar, aquilo era algo bem menos desastroso. Era melhor poder contar com um robô gigante com problemas do que contar com um que fora destruído.

- Entendo sua preocupação com nossa segurança – era o Jacoh – Mas, infelizmente, uma máquina de batalha em condições duvidosas terá que servir.
- Não temos alternativas. Ou arriscamos ou teremos que assistir, impotentes, o maldito Império Akkuma destruir o planeta Terra. Supremo Comandante, eu peço em nome de todos os planetas que não puderam ser salvos: deixe-nos ao menos tentar salvar o nosso. Por favor!

O Supremo Comandante hesitou mais um pouco. Era quase possível ver lágrimas em seus olhos cinzentos. Mestre Jacoh e Chairo tinham semblantes de determinação extrema. Isto pareceu tê-lo sensibilizado.

- Não me responsabilizo pelo que pode acontecer – ele disse.
- Apenas nos deseje “boa sorte” – era o Jacohranger marrom.
- Boa sorte.

Os dois voltaram à Terra.

***

A nova máquina de combate era uma gigantesca nave que se transformava em robô. Era o Cruzador Espacial Robótico! Chairo tinha a esperança de pensar em um nome mais curto quando lhe sobrasse tempo.
Quando chegaram próximos a Brazilian Tokyo, já podiam ver o enorme monstro Rizzardo causando estragos e parte da cidade sendo evacuada. Os outros Jacohrangers tentavam combater o inimigo com as armas que tinham, mas só conseguiam retardar o avanço de sua trilha de destruição.
Foi então que o Robô Cruzador (Chairo mudou o nome a tempo) os tragou para dentro dele.

- É agora, pessoal! – o Jacohranger marrom gritou.
- Sim! – todos responderam.

NO PRÓXIMO EPISÓDIO DE JACOHRANGERS:

O Robô Cruzador tem problemas e a batalha contra Rizzardo se complica. Péssimas notícias vêm do Departamento Espacial de Defesa. Não percam no próximo domingo:


EPISÓDIO 22 – ATAQUE COVARDE! SISTEMA SOLAR EM PERIGO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário