Jacohrangers

Jacohrangers

domingo, 15 de dezembro de 2013

EPISÓDIO 26 - DAIRA CONTRA ARAMUKI


EPISÓDIO 26 – DAIRA CONTRA ARAMUKI

NO CAPÍTULO ANTERIOR DE JACOHRANGERS:

- OS DARDOS DO MONSTRO MAGATSU ENVENENAM NÃO APENAS OS JACOHRANGERS, MAS SIM DEZENAS DE PESSOAS INOCENTES, COLOCANDO EM RISCO TODAS ESTAS VIDAS.
- DAIRA (NÃO ENVENENADA) E MESTRE JACOH PARTEM PARA O MONTE DO DESESPERO ATRAVÉS DA ÁGUA QUE CURARÁ OS ENFERMOS. MAS, DIANTE DELES, ESTÁ O TERRÍVEL ARAMUKI.

O QUE IRÁ ACONTECER?

- Daira, você sabe que não é capaz de vencê-lo sozinha. Aramuki é poderoso demais.
- Nós não temos escolha, Mestre Jacoh. Peço que confie em mim e corra buscar a água que curará nossos amigos.
- Boa sorte – o velho mestre assentiu – Conto com você.
- Jacoh Change!

A heroína laranja sacou sua espada. O inimigo apenas riu e se posicionou para o combate, ignorando a passagem do Mestre Jacoh. Além de suas garras monstruosas, contava também com uma espada negra, cuja lâmina parecia ser feita do osso de algum ser vivo.
Antes que as armas se movimentassem, Aramuki cuspiu uma quantidade considerável de ácido. Daira rolou para o lado se esquivando e antes que estivesse de pé novamente, o vilão já está quase em cima dela desferindo golpes com sua espada. A jacohranger laranja aparou os ataques como pôde, levantando-se com muita dificuldade. Depois de alguns minutos conseguindo se defender, ela acabou atingida pela lâmina inimiga. Uma duas, três, quatro vezes. Caiu e mais ácido foi lançado em sua direção.
O chão explodiu, e a heroína foi arremessada a metros de distância. Pôs-se de pé outra vez com dificuldade e sacou sua pistola. Efetuou vários disparos, todos refletidos por um campo de força poderoso que seu inimigo criou naquela hora. Ela concentrou suas energias e emitiu um tiro muito mais poderoso. Novamente, Aramuki conseguiu se proteger e sair ileso.
A jacohranger laranja embainhou a pistola e sacou outra vez a espada. Uma quantidade absurda de ácido veio em sua direção, sendo bloqueada pela lâmina de sua arma. Ela correu até o inimigo e voltaram a travar uma luta de espadas. Mas, desta vez, quem atacava incessantemente era ela.
Aramuki se defendia sem grande esforço, mas aos poucos foi notando que sua oponente ia ficando mais agressiva e mais veloz nos golpes. Em poucos minutos, começou a ser atingido e ferido com freqüência. Precisou cuspir ácido em sua inimiga para não cair derrotado. Ela foi ao chão ante a força de sua saliva cáustica.

- Esta ainda não deve ser nossa batalha decisiva, garota – ele disse – Você é mais útil viva. Mas preciso acabar com alguns de seus amigos, por isso vou ter que derrotá-la antes que seu mestre volte com a cura para eles.
- Mais útil viva? – ela não entendeu – Como assim “alguns de seus amigos”? Não é a todos nós que você quer destruir?
- Cale-se!

Ácido em grande quantidade foi cuspido em direção a Daira. Ela invocou o Jacoh Cannon, imbuindo-o apenas com sua energia. O resultado certamente seria menos eficaz do que se os demais estivessem presentes, mas ela não tinha muitas opções. Aramuki precisava ser contido até que o Mestre Jacoh voltasse.

- Tome isso! – ela gritou – Jacoh Cannon!
- Não vai me derrotar com tão pouco!

As energias se chocaram, gerando uma violenta explosão que levantou muita poeira e fez ambos precisarem cobrir os olhos. Minutos se passaram até que pudessem se ver novamente.
Daira mantinha-se de pé a custo de sua inabalável força de vontade. Sabia que seus amigos contavam com ela, sabia que deveria resistir de qualquer forma até o Mestre Jacoh voltar. Mas seu corpo fora terrivelmente ferido. Não tinha mais energias, sabia não ser capaz de vencer se o confronto seguisse. Sob sua armadura protetora, seu corpo sangrava.
Aramuki tinha alguns poucos cortes em diferentes áreas do corte. Nada mais. O ataque inimigo quase não lhe atingiu, pois o ácido que arremessou foi mais poderoso e venceu a disputa de forças. Estava ferido, mas ainda em totais condições de continuar combatendo.

- Ainda não acabou.

Daira sacou a espada e a pistola ao mesmo tempo. Conectou o cabo de uma em um espaço da outra e as tornou uma só. Concentrou-se e colocou no novo armamento toda a energia que tinha. Pensou em como o poder dela e de seus amigos aumentaram quando se enfureceram após a morte de Shira. Lembrou-se que sempre poderia ficar mais forte se tivesse o controle das suas emoções. E pôs para fora, naquela arma, todo o sentimento de vontade de vencer.

E disparou.

Outra imensa explosão. Aramuki fora atingido em cheio, tendo todo o corpo ferido pelo poder destrutivo da jacohranger laranja. Sangue alienígena escorreu. Suas pernas bambearam quando tentou se levantar, a visão ficou um pouco turva. Os braços não seguravam mais a espada com tanta força. Nunca antes Aramuki esteve tão perto da morte quanto naquele momento.

- Eu quero que você não se esqueça que temos em nosso poder aquela garota. Aquela garota que Chairo ama. Chairo que, por sinal, é o homem que você ama. Irônico, não? – ele sangrava cada vez mais – Se pudesse escolher, você a salvaria, Daira? Ou a deixaria morrer para poder ficar com seu amado?
- Eu não sou um monstro como você e seus aliados. É claro que eu a salvaria.
- Será mesmo?

Por alguns instantes, ela hesitou.

- Eu estarei aqui para observar quando chegar o momento em que você terá que tomar esta decisão, Daira. E aposto que você não agirá de forma tão heróica quanto está dizendo agora.
- Vocês são uns desgraçados! – ela gritou – Como se atrevem a brincar com os sentimentos das pessoas dessa forma?
- Não conquistamos praticamente o universo inteiro sendo bondosos com nossos inimigos! – ele também ergueu a voz – Estudamos com cuidado as fraquezas de nossas vítimas, tratamos de conhecer seus pontos fracos antes de atacá-los. Muitos planetas tinham exércitos mais poderosos que o nosso, mas caíram porque soubemos de que forma lutar contra eles. Você ficaria horrorizada se soubesse o que já precisei fazer para destruir meus inimigos.
- Chega! Não quero ouvir mais nada!

Ela se arremessou em direção a ele, desconectando a pistola da espada, e atacando apenas com a última. Abriu vários talhos no corpo do inimigo, que já dava mostras de não ter forças para conseguir lutar. Aramuki foi sangrando e apanhando, ficando muito próximo da derrota e da morte.

***

No centro de Brazilian Tokyo, médicos e seus aparatos tecnológicos se mostravam impotentes ante o poder do veneno do monstro Magatsu. Haori fazia o possível para auxiliar na proteção das pessoas enfermas, mas, infelizmente, não havia muito a ser feito. Apenas torcer para que Mestre Jacoh e os heróis trouxessem logo a água que podia curar  a todos.

- Jacohrangers! – ela pensou em voz alta – Por favor, não demorem!

***

- Hora do golpe final – Daira disse a Aramuki.

Ele começou a gargalhar.

- Do que você está rindo, maldito?
- Algo me diz que as surpresas e armadilhas que preparamos para vocês ainda irão continuar, sua idiota.
- Do que está falando? O que quer dizer com isso?

Subitamente, passos. Segundos depois, alguém trazia o corpo desmaiado do Mestre Jacoh pelo pescoço. O indivíduo arremessou o velho mentor dos heróis aos pés de Daira. A Jacohranger laranja ficou pasma ao ver que quem fazia aquilo era ninguém menos que Misudan.
Agora tudo ficava claro. O “flagelo do universo” não eram os piores vilões apenas por seu grande poder, mas também por sua astúcia e crueldade quase infinita.

NO PRÓXIMO EPISÓDIO DOS JACOHRANGERS:

Os heróis também têm uma surpresa para os vilões, gerando uma intensa batalha. Enquanto isso, o impiedoso Imperador Gouki resolve iniciar uma manobra terrível. Não percam no próximo domingo:


EPISÓDIO 27 – BRAZILIAN TOKYO EM PERIGO! O ATAQUE DE GOUKI!

Nenhum comentário:

Postar um comentário