Jacohrangers

Jacohrangers

domingo, 26 de janeiro de 2014

EPISÓDIO 32 - PLANO TERRÍVEL! O ISOLAMENTO DA TERRA


EPISÓDIO 32 – PLANO TERRÍVEL! O ISOLAMENTO DA TERRA

NO CAPÍTULO ANTERIOR DE JACOHRANGERS:

- OS HERÓIS TENTAVAM DESPERTAR O “CORAÇÃO ADORMECIDO DA TERRA” QUANDO UM ATAQUE A BRAZILIAN TOKYO OS FEZ ADIAR SUA BUSCA.
- QUANDO REGRESSAM, OS JACOHRANGERS SÃO ABORDADOS PELO FEITICEIRO IMPERIAL, O IRMÃO DE RARPOTH, QUE DESAFIA OS HERÓIS APÓS TER USADO UM RITUAL PARA MANTER ADORMECIDO O “CORAÇÃO DA TERRA”.

O QUE IRÁ ACONTECER?

Os cinco heróis se posicionaram em semicírculo, estudando os movimentos do inimigo. Era um feiticeiro, uma aura mística o rodeava emitindo faíscas e crepitando um fogo negro. Derrotá-lo poderia ser mais desafiador do que parecia, e ainda havia o problema de despertar o “coração adormecido da terra”, a fera lendária que se tornaria aliada deles.

- Vamos! – Chairo gritou.

As espadas de Chairo e Grey encontraram bloqueio em um campo de força que surgiu da aura negra. Murana e Daira dispararam com as pistolas, e suas rajadas também não surtiram efeito. Hitomi uniu pistola e espada em um único ataque para também falhar em ferir o inimigo.
O Feiticeiro Imperial fez aparecer magicamente um cajado e o girou. Os Jacohrangers, como marionetes, seguiram aquele movimento, sendo arremessados de um lado para o outro conforme o cajado se movia. Caíram no chão feridos e antes que conseguissem se levantar foram golpeados por raios de energia negra oriundas da arma do inimigo.
Ainda tentavam buscar forças para se levantar quando receberam mais e mais raios. Mantinham-se transformados e já estavam novamente de pé, e novamente receberam ataques violentos de energia. Caíram destransformados.

- São muito fracos. É uma vergonha que tenham incomodado o Império Akkuma tendo tão pouco poder.
- Não nos daremos por vencidos... – Chairo dizia, sangrando, procurando forças em seu coração para se levantar.
- Vamos lhe mostrar a nossa força... – era Hitomi.
- A batalha só acaba quando o último de nós cair... – bradou Murana.
- Nunca nos renderemos. Nunca! – era Daira.
- Prepare-se, maldito! – gritou Grey.

Contra todas as expectativas, os Jacohrangers estavam de pé novamente. Tinham ferimentos graves, hematomas, sangravam bastante. Mas deles também emanava uma aura. Eram várias, de diversas cores, lembrando as luzes que brotavam de seus corações. Era a força interior que os movia e que não permitiria que eles perdessem. Não ali. Não naquele momento. Não para aquele inimigo.

- Jacoh Change!

Os cinco estavam novamente prontos para batalhar.

- Não aqui nem agora, heróis.
- O que? Como assim? – Murana perguntou.
- Meu papel aqui era apenas deter o despertar do “coração da terra”. Aproveitei para também lhes mostrar o quanto são insignificantes, mas a verdade é que tenho assuntos mais importantes a resolver. Condenar seu planeta patético, por exemplo. 
- Condenar? – Chairo deu um passo à frente – Do que está falando?
- O principal motivo da minha vinda a este planeta insignificante. O ritual que irá isolá-lo dos demais planetas do Sistema Solar.
- O quê? – todos gritaram ao mesmo tempo.
- Realizarei um ritual que alterará a rotação da Terra, afastando-a do sol e dos demais planetas. O afastamento do satélite que vocês chamam de lua descontrolará as marés e os oceanos do mundo destruíram as cidades litorâneas. Afastados do sol, a vida humana e mesmo a vida animal e a vegetal não resistiram mais que alguns poucos dias. E uma terra vazia e apodrecida definhará nas profundezas do espaço infinito até ser consumida por algum buraco negro.

E o vilão gargalhou.

- Maldito! – o Jacohranger marrom gritou – Não permitiremos.
- Então tentem me impedir.

E quando os Jacohrangers avançaram, o Feiticeiro Imperial simplesmente sumiu.

***

- Temos que seguí-lo! – Murana bradava – Não ouviram o que ele pretende fazer com a Terra?
- O ritual provavelmente não será algo imediato – Chairo contra-argumentou – Além disso, estamos muito próximos do “coração adormecido da terra”. Não sabemos quando teremos outra chance de encontrá-lo e precisamos despertá-lo o quanto antes.
- Isto pode esperar – ela rebateu.
- Talvez não possa!
- E se nos separássemos? – Grey sugeriu.
- Divididos, seríamos facilmente vencidos – Chairo respondeu – Juntos, nós já tivemos muita dificuldade. Não é o momento de nos separarmos. Vamos achar o quanto antes o “coração adormecido da Terra”.

Seguiram. Correram para o local de onde emanava uma energia que ficava cada vez menor. Adentraram uma caverna subterrânea, que bifurcava em duas entradas que levavam para níveis ainda mais inferiores. Um bom tempo já havia passado quando notaram que o terreno se tornava uma descida totalmente íngreme.
Já se sentiam quase que no centro da Terra. O calor era enfastiante, e o ar limitado e sufocante. A iluminação diminuíra sensivelmente. Seguir caminhando era um desafio, mas a responsabilidade e o sendo de dever os levava adiante.
A energia da “fera lendária” parecia cada vez menor, como se ela realmente estivesse entrando em um torpor praticamente definitivo. Os Jacohrangers não tinham forças sequer para falarem, mas em dado momento aquilo se tornou inevitável.

- Falta pouco, pessoal! – Daira disse – Ânimo!
- Isso! – Chairo corroborou – Não vamos desistir.

Logo chegaram a um local que lembrava o covil de algum monstro subterrâneo. Jamais sentiram tanto calor em suas vidas. Murana quase desmaiou de tanta fraqueza. Hitomi a amparou enquanto os outros avançavam.

E encontraram um ser monstruosamente grande adormecido em uma cratera adiante.

Tinha o aspecto de um gigantesco dragão, com um corpanzil magro encolhido, asas igualmente encolhidas, cauda proeminente e grossa como um tronco de árvore, chifres e presas adornando o rosto e garras afiadas saindo das patas. O corpo era revestido por uma espécie de couraça dourada, como se fossem escamas invencíveis. Da fera saía uma energia cálida, indicando claramente que aquele ser seria realmente um aliado. Se pudesse ser acordado.

- Vamos direcionar toda a energia de nossos corações para ele. Isto talvez possa despertá-lo – disse Chairo.

Os demais assentiram silenciosamente e se concentraram. Emanaram a energia mais pura e intensa que puderam e não conseguiram. Tentaram de novo mais quatro vezes obtendo o mesmo resultado. Chairo contatava o Mestre Jacoh para lhe perguntar como despertar o “coração adormecido da Terra” quando veio a ordem para retornarem imediatamente. Um terrível ritual estava tendo início e precisava ser urgentemente detido.

***

Era um monte que ficava nos limites de Brazilian Tokyo. A presença de uma monstruosa quantidade de soldados Kardler que os Jacohrangers estavam no lugar certo.
A aura negra do Feiticeiro Imperial se espalhava por todo o local, fazendo sombras ganharem vida e circundarem, voando, aquela área. Uma negatividade palpável podia ser sentida.
Os Jacohrangers não se intimidaram. Partiram para cima dos Kardler, derrotando-os em poucos minutos. Logo vieram as terríveis sombras, mas os heróis também as nocautearam, embora com maior dificuldade.
Subitamente, tudo ficou escuro, como em um grande eclipse. Os cinco avançaram, mas um gesto da mão do Feiticeiro Imperial os deteve. O vilão virou-se e os encarou.

- É melhor não interferirem. Chairo é seu nome, não herói marrom? Saiba que não tolerarei que me atrapalhem. Trate de não permitir que seus aliados me ataquem. Do contrário...

Ele mostrou algo a Chairo. E o coração dele parou de bater.

NO PRÓXIMO EPISÓDIO DE JACOHRANGERS:

O Feiticeiro Imperial usa Aline como escudo. Chairo cede à chantagem e não permite que os Jacohrangers interfiram no ritual. Não percam no próximo domingo:


EPISÓDIO 33 – A VIDA DE ALINE CORRE PERIGO

Nenhum comentário:

Postar um comentário