Jacohrangers

Jacohrangers

domingo, 2 de fevereiro de 2014

EPISÓDIO 33 - A VIDA DE ALINE CORRE PERIGO!


EPISÓDIO 33 – A VIDA DE ALINE CORRE PERIGO

NO CAPÍTULO ANTERIOR DE JACOHRANGERS:

- OS JACOHRANGERS FAZEM TUDO QUE ESTÁ A SEU ALCANCE PARA DESPERTAR A FERA CONHECIDA COMO “CORAÇÃO ADORMECIDO DA TERRA”, MAS FALHAM.
- SÃO OBRIGADOS A VOLTAR ÀS PRESSAS PARA BRAZILIAN TOKYO, POIS O FEITICEIRO IMPERIAL, NOS LIMITES DA CIDADE, INICIOU UM TERRÍVEL RITUAL QUE TIRARÁ O PLANETA TERRA DE SUA ROTAÇÃO.

O QUE IRÁ ACONTECER?

- O que houve, Chairo? – o vilão perguntou, tendo no rosto um sorriso diabólico – Não vai me deter? Não é para isto que você e seus amigos vieram até aqui?
- Maldito! Solte-a imediatamente!

Ela chorava. Não parecia ferida nem ter sido vítima de nenhum tipo de maus-tratos. Mas estava imobilizada por correntes, tinha um medo terrível e havia várias espadas próximas a seu pescoço. Soldados Kardler a ameaçavam a uma distância segura, onde não poderiam ser alcançados pelos Jacohrangers sem antes executá-la.

Quem estava ali era Aline.

Chairo tinha dificuldades para respirar. Sem que soubesse exatamente por que, ou que tivesse controle sobre aquilo, se destransformou. Deu um passo à frente e derramou algumas lágrimas. Queria chamar por ela, mas tinha a certeza de que seu coração já tinha feito aquilo. Cerrou os punhos e ficou sem saber o que fazer. Sua amada estava tão próxima e ao mesmo tempo tão distante.

- Chairo. Vamos! – Hitomi tocou seu ombro – Precisamos deter o Feiticeiro Imperial.
- Não! – ele se desvencilhou, em lágrimas, visivelmente perturbado – Se nos intrometermos, eles vão matar Aline. Vamos deixar o ritual ser realizado e depois vamos salvá-la.
- Chairo, o que está dizendo? – era Murana.
- Chairo, se não fizermos nada a Terra será destruída – Daira disse.
- Não! – ele gritou – A Aline vem em primeiro lugar.
- Não vou repetir, heróis medíocres! – o Feiticeiro Imperial disse – Se derem um único passo, a garota morre. Não tenho nenhuma necessidade de manter reféns. A vida dela não tem nenhum valor para mim.
- Seu maldito! – Chairo chorava copiosamente.

Os outros heróis tentaram se adiantar, mas o Jacohranger marrom, destransformado, os deteve. Virado para eles, abriu os braços e disse que ninguém avançaria mais nem um centímetro.

***

- Jacoh Change! – Chairo disse – Não irão colocar a vida de Aline em perigo. Não deixarei.
- Chairo, acorde! – Daira disse – Não temos nenhuma garantia de que conseguiremos salvá-la depois que o ritual do Feiticeiro Imperial se cumprir.
- Você quer que ela morra, não é? – o herói marrom gritou – Quer que ela morra por que seria conveniente para você, não é?
- Já chega, Chairo! – Murana gritou, desferindo-lhe um soco.

Grey havia se afastado e já entrava em contato com o Mestre Jacoh. Hitomi olhava com atenção para tudo que acontecia ao seu redor. Precisava encontrar uma forma de salvar Aline e ainda impedir a realização do ritual do Feiticeiro Imperial. Precisava não ser vista, precisava de um plano, precisava de uma chance. Precisava fazer alguma coisa.

- Pare, Chairo! – Murana gritava.

O Jacohranger marrom atacava a púrpura e a laranja sem hesitação. Suas espadas se chocavam, faíscas voavam e o som do aço musicalizava o campo de batalha.
Algumas dezenas de metro adiante, o Feiticeiro Imperial murmurava palavras imbuídas energia negativa, enquanto prisioneiros de outros planetas eram sacrificados. Fumaça e luz negra se mesclavam, chamas terríveis eram evocadas e consumiam vidas inocentes.
A luz do sol parecia cada vez mais tímida. E a terra começou a tremer.

- O ritual começou! – Hitomi gritou – Precisamos fazer alguma coisa.
- O que estou fazendo? – Chairo deixou sua espada cair – O que estou fazendo? Me perdoem!
- Chairo, não devemos desistir agora! – a Jacohranger púrpura gritou.

Subitamente, surgiram vários soldados Kardler e um monstro de cor azul, penugens exóticas e um bico amarelado que cuspia labaredas poderosas. Chamava-se Granko e começou a agredir violentamente os Jacohrangers.
Os cinco se posicionaram com dificuldade. Não tinham equilíbrio, pois o chão tremia e um vento inexplicavelmente forte surgiu. Chairo segurou sua espada completamente desconcentrado, sendo derrotado até mesmo pelos soldados Kardler.
O monstro cuspia fogo. Murana e Grey não conseguiram se desviar e foram atingidos. Hitomi e Daira tinham dificuldades em combater os soldados inimigos. Suas pistolas atiravam a esmo, a instabilidade do chão os fazia tremer e lhes tirava a mira.
Mas, por algum motivo, os Kardler e o monstro pareciam conseguir batalhar normalmente naquelas condições. O terremoto se intensificava e a escuridão ficava mais intensa. A ventania se tornava furacão.

- É agora! – disse Chairo.

O vento extremo fez os soldados que ameaçavam Aline se desequilibrarem e caírem. O Jacohranger marrom deu um salto imenso e cruzou toda a distância que os separava. Chegou até a garota antes que os inimigos se recompusessem, e os derrotou, mesmo desarmado.
Invocou o jato do grupo e entrou nele com Aline, abraçando-a apertadamente, às lágrimas. O piloto-automático os conduzia de volta ao quartel-general do grupo, onde ela estaria em segurança. Onde ela não poderia mais ser atacada, ameaçada ou seqüestrada. Depois que o mundo fosse salvo, eles poderiam ficar juntos. Para sempre.

***

Os quatro Jacohrangers que ficaram no campo de batalha tentaram se reagrupar. Colocaram-se em posição de semicírculo e esperaram que os adversários os atacassem, para apenas contra-atacarem. Funcionou, pois quem tomava a iniciativa acabava se desequilibrando. Os heróis foram golpeando os Kardler. E logo só restava o monstro Granko.
A criatura baforejou fogo e os Jacohrangers responderam com os disparos de suas pistolas. Houve explosões e o monstro se desequilibrou, caindo. Os heróis avançaram furiosamente com suas espadas e talharam e estocaram sem parar. Quando Granko conseguiu se levantar, seus oponentes já preparavam o golpe final.

- Jacoh Cannon!

Granko foi feito em pedaços, mas logo se ergueu, gigantesco, revivido pela força maligna dos inimigos. Hitomi, Grey, Daira e Murana sabiam que não podiam hesitar apesar da ausência de Chairo e invocaram o Robô Cruzador.
Adentraram a gigantesca máquina de batalha e se posicionaram. O inimigo cuspiu fogo antes que estivessem prontos, mas conseguiram se defender. A imensa batalha começou.
O terremoto ficava cada vez mais intenso, enquanto a própria luz do sol também ia desaparecendo lentamente. O vento já era furacão e logo o centro de Brazilian Tokyo seria atingido. O ritual tinha que ser detido. Eles não podiam perder tempo com o monstro Granko.
Ao mesmo tempo em que combatiam o oponente gigante, viram Chairo voltando, justamente para atacar o Feiticeiro Imperial. Mas uma horda de soldados Kardler o detinha, fazendo com o terrível conjurador pudesse dar seqüência ao quase concluído rito maligno.
Parecia faltar pouco para Chairo impedir o Feiticeiro Imperial, porém sempre apareciam mais e mais soldados Kardler. E o tempo parecia acabar.

- Um de nós... Mais de um, de preferência, terá que descer para ajudar o Chairo – Murana disse – Do contrário, ele não conseguirá a tempo.
- Mas se ficarmos em três aqui – era Daira – não teremos estabilidade para lutar e poderemos perder.

Eles ainda não tinham terminado a discussão, quando surgiram mais três monstros gigantes: um com aspecto de sapo, outro que lembrava uma espécie de búfalo e outro similar a um réptil bípede. Juntas, as quatro aberrações iniciaram um imenso ataque contra o Robô Cruzador.

- Eu vou descer! – era Daira – Se o ritual não for impedido, a Terra estará condenada, e estes monstros gigantes serão o menor de nossos problemas.
- Daira, espere! – Hitomi gritou.

Lá embaixo, o Feiticeiro Imperial gargalhava.

NO PRÓXIMO EPISÓDIO DE JACOHRANGERS:

A batalha gigante se torna desesperadora. O ritual se completa, condenando a Terra, mas Chairo não desiste. Então, ocorre um milagre. Não percam no próximo domingo:


EPISÓDIO 34 – UM MILAGRE? SURGE A JACOHRANGER PRATEADA!

Nenhum comentário:

Postar um comentário