Jacohrangers

Jacohrangers

domingo, 2 de março de 2014

EPISÓDIO 37 - GATTAI! A ÚLTIMA ESPERANÇA



NO CAPÍTULO ANTERIOR DE JACOHRANGERS:

- O CONTATO COM UM GAROTO QUE TINHA SIDO SALVO PELOS JACOHRANGERS MAIS DE UMA VEZ FAZ GREY ENTENDER SEU VALOR COMO HERÓI E VOLTAR PARA AJUDAR SEUS AMIGOS.
- ANTES DE MORRER, O FEITICEIRO IMPERIAL DESPERTOU UMA BESTA PODEROSÍSSIMA INTITULADA “REI DOS MONSTROS DO INFERNO”. MESMO O PODER COMBINADO DO DENSETSU ROBOTTO, DO ROBÔ CRUZADOR E DO GALACTIC ROBÔ NÃO PARECE SUFICIENTE PARA VENCÊ-LO.

O QUE IRÁ ACONTECER?

O Rei dos Monstros baforejou uma impressionante rajada de fogo. Os três robôs, no chão, foram violentamente atingidos. Os heróis gritaram de agonia e dor. Houve uma quantidade absurda de destruição ao redor.

- Se um ataque como esse for feito em algum bairro habitado de Brazilian Tokyo, teremos milhares de vítimas. Temos que deter este maldito aqui mesmo. E rápido – Chairo pensou em voz alta.

Mais fogo destruiu parte da paisagem natural das cercanias. Por sorte, era uma área afastada da cidade, um local desabitado. Ainda assim, próximo o bastante dos bairros mais populosos de Brazilian Tokyo para preocupar a todos. Se o monstro não fosse detido, em poucos minutos, toda a cidade estaria ardendo em chamas.
Usando a pouca energia que lhes restava, os três Jacohrangers ergueram suas máquinas de batalha e tentaram, por um curto instante de tempo, formular algum tipo de plano de ação. Será que o Rei dos Monstros do Inferno tinha alguma espécie de ponto fraco?

- Talvez seja melhor um de nós ir até o centro de Brazilian Tokyo e orientar as pessoas a evacuarem a cidade – disse Haori.
- Espere, Haori! – era Hitomi – Nós ainda não perdemos. E nem pretendemos perder.
- Vamos fazer uma terceira tentativa de ataque conjunto – Chairo gritou – Uma hora enfraqueceremos o inimigo o suficiente.
- Não adianta! – Haori rebateu – Só vamos gastar a pouca energia que nos resta.
- Haori, se você pedir a evacuação da cidade, só vai causar pânico – Grey se manifestou – A batalha ainda não acabou.
- A Haori tem razão – disse Daira – Infelizmente, não podemos arriscar milhares de vidas. Até acharmos uma forma de derrotar este maldito, é melhor garantir que as pessoas ficarão em segurança.
- Pessoal, vamos parar de brigar! – Murana pediu – Só vamos vencer se estivermos unidos.

O Rei dos Monstros do Inferno golpeou os três violentamente, gerando várias explosões nos circuitos internos dos robôs.

- Vamos! – gritou Chairo – Densetsu Chou Ken Hi.
- Flash Sagrado do Cosmos!

Mas Haori não liberou o “Galactic Finisher”. Seu Galactic Robô já se dirigia até o centro de Brazilian Tokyo. Enquanto os Jacohrangers praguejavam contra sua aliada, a poeira baixava. O Rei dos Monstros do Inferno estava ferido e sangrava bastante. Mas ainda se mantinha em totais condições de batalhar.

E baforejou violentamente contra o Galactic Robô.

A Jacohranger prateada gritou quando foi atingida, indo com sua máquina de batalha ao chão. O inimigo começou a golpear a máquina caída, destruindo parte significativa da estrutura metálica externa do robô.
O Robô cruzador foi em seu auxílio, tentando ferir o inimigo de todas as formas possíveis. O rei dos Monstros se mostrava indestrutível, resistindo sem esforço a todas as investidas dos heróis, como se fosse necessária uma força quase infinita para danificar seu corpo bestial.
O Densetsu Robotto fez o mesmo. Ambos os robôs golpeavam ao mesmo tempo, procurando um ponto fraco, uma vulnerabilidade, uma região do corpo do Rei dos Monstros que pudesse ser ferida.

Mas não adiantava.

Em poucos minutos, os três robôs dos Jacohrangers estavam no chão. E o terrível monstro dirigia-se até regiões habitadas de Brazilian Tokyo.

***

- Eu disse... – Haori balbuciava – Que deveríamos orientar as pessoas a fugirem. Agora, elas serão... pegas de surpresa e morrerão. Não vai haver tempo para que toda a população da cidade fuja.
- Se você tivesse lançado o Galactic Finisher... – Chairo rebateu.
- O resultado teria sido o mesmo...
- Não é hora para brigarem – Murana gritou – Temos que deter o Rei dos Monstros!

Houve um momento de quietude, o silêncio da impotência, de quem sabia que falar não resolveria nada. Mas, infelizmente, nenhum deles sabia o que fazer.

- Mestre Jacoh! – Chairo gritou – Mestre Jacoh, nos diga o que podemos fazer? O que devemos fazer para vencer o Rei dos Monstros do Inferno?
- Idiotas! – o mestre gritou em resposta.

Houve o silêncio da incompreensão, sucedido pela quietude da expectativa.

- Vocês não estão lutando como Jacohrangers! Estão lutando cada um por si. Como esperam vencer se seus corações não estão unidos. Enquanto seus corações não baterem em uníssono, enquanto suas almas não estiverem brilhando na mesma direção e com a mesma intensidade, enquanto seus sonhos não forem unos, vocês jamais vencerão.
- Mestre... – Chairo não sabia o que dizer.
- Vocês esqueceram que foi a força que havia dentro de vocês que lhes deu seus poderes? Acham que esta força veio de seus sonhos particulares, de seus objetivos individuais? Idiotas! Foi a união de vocês, foi o fato de desejarem a paz, todos, ao mesmo tempo, com a mesma intensidade que os transformou em Jacohrangers. Foi isto que os fez vencer todas as batalhas que lutaram até agora. E é isto que os fará vencer o Império Akkuma, coisa que o universo inteiro nunca conseguiu.
- Mestre... – todos disseram ai mesmo tempo.
- Transformem seus corações em um só!
- Sim! – a resposta veio em uníssono.

Do peito de cada um deles, uma luz. Os brilhos misteriosos abandonaram os robôs e se encontraram em pleno ar. Fundiram-se, gerando um brilho que ofuscou até o inimigo, que estava de costas. O rútilo inundou o horizonte e, por algum motivo, aquele flash pareceu durar uma eternidade.
Quando foi possível enxergar novamente, havia uma luz dourada infinita ao redor do Galactic Robô, do Robô Cruzador e do Densetsu Robotto. Os três se moveram em direção uns dos outros, sem que qualquer esforço fosse necessário para aquilo. Dentro do coração dos heróis, apenas uma certeza: a de que deveriam, em uníssono, gritar uma única palavra.

- Gattai!

A luz voltou a se tornar infinita e a preencher todo o campo de visão. Quando ela desapareceu, não havia mais nenhum dos três robôs dos heróis. Havia apenas a nova máquina de batalha.

- Great Jacoh Oh!

O Rei dos Monstros do Inferno virou-se e baforejou fogo. As labaredas tornaram-se fagulhas insignificantes quando tocaram o novo robô dos Jacohrangers. E então os heróis atacaram. Uma imensa lâmina, com um único golpe, rasgou violentamente o corpo do monstro inimigo.

- É agora! – todos gritaram ao mesmo tempo – Ultimate Finisher!  

A lâmina da espada, totalmente revestida por uma luz branca, transformou o Rei dos Monstros do Inferno em poeira, após uma apocalíptica explosão. A batalha, enfim, tinha acabado. Todos desceram do Great Jacoh Oh.
Então, eles apareceram. Caminhavam lentamente, sem pressa, como que se deliciando com o momento que antecedia a batalha. Sorriam diabolicamente. Eram Misudan, Aramuki e Garak. O Flagelo do Universo.

- Já adiamos a batalha final por tempo demais, não acham? – era Garak – Além disto, parece que o planeta de vocês não vai durar muito, não é?
- Nós aceitamos o desafio! – era Chairo – Vamos travar a batalha final!

NO PRÓXIMO EPISÓDIO DE JACOHRANGERS:

Os corações se tornam um, e a batalha derradeira começa. Mas o Flagelo do Universo é poderoso demais. Os Jacohrangers conseguirão vencer? Não percam no próximo domingo:


EPISÓDIO 38 – JACOHRANGERS VS. FLAGELO DO UNIVERSO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário