Jacohrangers

Jacohrangers

domingo, 10 de agosto de 2014

EPISÓDIO 05 - O MISTERIOSO ALPHA OH

EPISÓDIO 05 – O MISTERIOSO ALPHA OH

不思議なアルファ王

Os cinco Jacohrangers ALPHA estavam hesitantes. Diante deles, um monstro gigantesco. Ao seu redor, uma cidade indefesa que não podia ser atingida por qualquer destroço de batalha. Como venceriam um inimigo daquele tamanho?
- Vamos usar o que restou das nossas energias em um novo ataque do Alpha Cannon! – Satoshi disse, e naquele momento já não importava mais que ele e seus amigos tivessem opiniões diferentes sobre o Príncipe da civilização ALPHA.
- Vamos tentar concentrar o disparo de nossas pistolas ao mesmo tempo, aumentando o poder de fogo desse ataque – Haruto disse.
- ALPHA Cannon! – todos gritaram.
Uma grande explosão, mas que sequer arranhou o monstro Karivan. O punho titânico da criatura, por sua vez, arremessou os heróis para longe, quase os esmagando. Os Jacohrangers se recompuseram, não havia tempo para se lamentarem os ferimentos.
De repente, um feixe de luz. E, misteriosamente, tudo ficou escuro.

***

- O tempo está parado. Temos apenas uns poucos minutos antes que eu não consiga mais e tudo volte ao normal.
- Você consegue fazer o tempo parar? – Satoshi parecia interessado, mas o Príncipe tratou logo de desconversar.
- Vou conceder a vocês o domínio sobre algumas máquinas de batalha da civilização ALPHA. Com elas, vocês terão condições de combater os monstros que eventualmente ficarem gigantes.
- Príncipe, isso não faz nenhum sentido – Satoshi não pôde evitar dizer.
- Satoshi, não é hora para isso – Naomi respondeu de chofre.
- Vocês criaram monstros – o ALPHA Red insistiu – e também criaram máquinas para combatê-los. Qual o sentido de tudo isso? Não consigo entender.
- Meu povo sempre esteve em guerra consigo mesmo – a resposta parecia carregada de sinceridade – Sempre existiram dissensões e pontos de vista diferentes. Por isso, desenvolvemos diferentes tecnologias.
- Conversaremos sobre isso depois – era Takeshi – Oriente-nos sobre o que fazer para operar essas máquinas.
E o Príncipe ALPHA passou aos heróis todas as orientações necessárias. A terra não estava mais em desvantagem, embora Satoshi não tivesse muita certeza daquilo.

***

Eram cinco máquinas de tecnologia consideravelmente avançada. Dois tanques, uma jato, um helicóptero e uma espécie de carro que podia planar. Cada um dentro do seu veículo, os cinco Jacohrangers viram que o tempo estava fluindo novamente e que o monstro Karivan já se locomovia, aparentando ter planos de atacar Brazilian Tokyo.
Lasers, mísseis e raios de diferentes naturezas foram disparados contra o monstro, chamando a atenção dele e detendo-o. Karivan virou-se em direção às máquinas de batalha dos heróis.
- Vamos nos separar e atacar de diferentes direções – Haruto disse.
- Não, pelo contrário – era Satoshi. Tinha visto algo interessante no painel – Vamos nos unir.
E então todos viram uma opção sobre a qual o Príncipe ALPHA havia falado enquanto o tempo estava paralisado. A opção da fusão, da junção dos veículos em uma verdadeira máquina de batalha.
Um robô gigante.
- ALPHA Gattai! – todos gritaram em uníssono, apertando o botão responsável por executar aquela manobra.
Os veículos se adaptaram, se posicionaram e se uniram, em uma fusão grandiosa. Surgiu um robô de cor prateada, cheio de compartimentos que armazenavam energia destrutiva. Raios, mísseis e lasers estavam prontos, aguardando para ser lançados.
- Está pronto! ALPHA Oh!
Uma imensa espada se materializou nas mãos robustas do ALPHA Oh. Ela já começou a batalha talhando os ombros de Karivan. O monstro não havia se recuperado ainda quando vieram mais estocadas poderosas, levando a criatura maligna ao chão.
O monstro se levantou disparando projéteis, mas o robô dos heróis girou a espada, devolvendo o ataque contra o vilão. Vieram mais golpes de espada e o Raio ALPHA. Karivan caiu.
- Hora do golpe... – Satoshi sentiu um súbito mal-estar e não conseguiu terminar a frase.
- Hora do golpe final! – os demais complementaram, sem ter notado que algo ocorrera ao ALPHA Red.
- Não me venceram ainda! – Karivan rosnou.
O monstro canalizou sua energia e disparou mais projéteis contra o ALPHA Oh. Foram tantos, que a espada não pôde aparar todos os ataques. Um grande escudo se materializou em outra mão do robô, mas também não foi o bastante. Os Jacohrangers gritaram e se sacudiram em sua cabine. Sua máquina de batalha fora ferida.
ALPHA OH se recompôs. O Míssil ALPHA chocou-se no ar com os projéteis de Karivan. Houve uma grande explosão, e logo o robô dos heróis já estava retalhando o vilão com sua espada.
- Satoshi, algum problema? – Naomi viu o herói vermelho um tanto quanto prostrado sobre cabine.
- Nada – a voz dele confirmava que havia algo errado.
- Vamos desferir o golpe final! – Takeshi gritou.
Vieram mais dois projéteis que os heróis rechaçaram até conseguirem executar sua estratégia. A gigantesca espada encheu-se de uma quantidade absurda de energia, e o ALPHA Oh inclinou o corpo para trás, posicionando-se para ter o impulso necessário para a manobra definitiva.
- Satoshi, tem certeza que está bem? – Naomi perguntou novamente.
Não houve resposta.
- ALPHA Crush! – todos os outros gritaram a uma só voz.
Karivan foi destruído imediatamente, liberando uma explosão considerável. Felizmente, o poder do ALPHA Oh absorveu parte significativa do impacto, impedindo que o centro de Brazilian Tokyo fosse atingido por destroços.
Em algum lugar, Netsuzon contemplava com curiosidade a nova máquina de batalha dos heróis. Em outro lugar, com uma expressão muito mais indecifrável, outro alguém também perscrutava os Jacohrangers. Alguém que já seguia há certo tempo os passos dos jovens e do Príncipe ALPHA.

***

- Você não estava bem dentro do robô, Satoshi – era Keiko, conversando a sós com o ALPHA Red – Não falei nada porque estávamos batalhando e não era o momento de falar sobre isso, mas é claro que eu notei. Todos notaram. O que é que aconteceu?
- Em você sei que posso confiar, Keiko. Senti uma fraqueza súbita, como se o robô tivesse roubado minhas forças, diminuído minhas energias. O que acha que pode ser isso?
- Não sei. E não sei se adianta perguntar ao Príncipe.
- Não dá para ter certeza se ele está falando a verdade ou não, Keiko. E o pior é que todos os outros preferem acreditar nele a acreditar em mim.
- Acho que, no fundo, eles não sabem em quem acreditar. Até porque, pelo menos por enquanto, nossa única é acreditar nele. Ou fingir que acreditamos.
- Não gosto de fingir, mas talvez você tenha razão.
- Claro – ela sorriu – Eu sempre tenho razão.

NO PRÓXIMO EPISÓDIO DE JACOHRANGERS ALPHA:

Os heróis são atacados por um indivíduo misterioso que faz várias revelações a eles. Mas será que os Jacohrangers podem confiar nele? Enquanto isso, Netsuzon sequestra pessoas para servirem como escravos aos propósitos da civilização ALPHA. Não percam no próximo domingo:


EPISÓDIO 06 – TUDO OU NADA! AS PALAVRAS DO GUERREIRO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário