Jacohrangers

Jacohrangers

domingo, 24 de agosto de 2014

EPISÓDIO 07 - O PODER DESCONHECIDO DO TALISMÃ

EPISÓDIO 07 – O PODER DESCONHECIDO DO TALISMÃ

護符の知らないパワー

O Príncipe ALPHA sumiu em um teleporte. Foi possível ver uma mescla de ódio com preocupação em seu semblante no último momento.
Keiko, a ALPHA Pink, e Satoshi, o ALPHA Red estavam frente a frente com o homem misterioso. Ouviram tudo que ele havia dito, refletiram meio que às pressas sobre todas aquelas informações. Parecia que obter um daqueles talismãs era uma forma de adquirir uma fonte de poder que não dependia da civilização ALPHA. Ou assim eles queriam acreditar.
Haruto, Takeshi e Naomi foram deter Netsuzon, que aparentemente tinha atacado o centro de Brazilian Tokyo e raptado pessoas para trabalharem como escravas nos planos macabros da civilização ALPHA.
Pela primeira vez, os Jacohrangers lutariam divididos.
- Não vamos perder! – Satoshi disse, e havia um tom monocórdio em sua voz.
- A determinação de vocês impressiona um pouco – foi a resposta do homem misterioso – Mas isso não bastará. Se não puderem me vencer, não vou permitir que continuem vivos.
- Não vamos perder, eu já disse.
A lâmina do ALPHA Red percorreu um arco imaginário no ar, talhando o ombro inimigo. Antes que o homem misterioso pudesse reagir, vieram dois tiros violentos de Keiko. E então as lâminas dos dois heróis foram estocando e retalhando em fúria assassina.
O anônimo expandiu parte da aura que circundava seu corpo e arremessou para longe os heróis, que fizeram acrobacias no ar para chegarem ao chão sem transtornos. O indivíduo disparou raios de seus olhos, e lançou-se ao ataque com sua lâmina sob uma velocidade impressionante. Os dois ALPHAS rechaçaram os ataques de energia como puderam, mas não puderam bloquear as estocadas inimigas.
Satoshi gritou quando seu abdômen foi ferido, mas contra-atacou no mesmo instante produzindo o mesmo dano em seu oponente. Keiko fez o mesmo quando recebeu um ataque na coxa esquerda. Cada estocada recebia um revide, cada guarda que se abria tinha como consequência um golpe inimigo.
- Não lutaram assim antes. O que mudou?
A resposta dos dois heróis foi incessantes disparos. O indivíduo anônimo desviou-se e logo já tinha espadas rasgando sua pele. Rechaçou os ataques como pôde. Enfureceu-se e sua espada rodeou-se de chamas azuladas.
- A determinação de vocês não é mais a mesma. Por quê?
- Esta é a primeira vez que sabemos que vale a pena vencer a luta, a primeira vez em que temos certeza de não estarmos sendo enganados – era Satoshi.
- Desde o começo, sempre duvidamos do Príncipe ALPHA – Keiko complementou – Nunca fomos capazes de lutar com todas as nossas forças para cumprir as ordens de alguém em quem não confiávamos.
- E confiam em mim? – o homem ensaiou uma risada tímida.
- Havia verdade em suas palavras – a ALPHA Pink também sorriu com discrição – Não totalmente. É quase certo que você planeje algo, que queira nos usar de alguma forma. Mas, por algum motivo, você parece mais confiável que o Príncipe ALPHA. E o talismã que você disse ter com você será muito útil.
- Entendo.
As chamas azuladas ao redor da lâmina do guerreiro misterioso ganharam uma intensidade maior. E maior. Tornaram-se imensas, a ponto de não caberem novamente na bainha.
- Então aplicarei em vocês o teste definitivo. Para que sejam merecedores do poder do talismã, terão que primeiro derrotar esse poder.
- O quê?
- Preparem, Jacohrangers!

***

Havia várias marcas de destruição. Aparentemente, a polícia entrara em confronto contra as tropas de Netsuzon. Nenhuma vítima, exceto por algumas poucas pessoas feridas e muitas outras assustadas. Rastros indicavam que sobreviventes foram levados a algum local distante.
Os três Jacohrangers seguiram as pistas e chegaram a uma região desabitada, uma espécie de vale. Parecia haver algo de sobrenatural que não permitia uma visualização melhor, mas ficava clara a presença acentuada de trabalhadores em regime de escravidão. Centenas. Todos da Terra.
- Malditos! – Haruto cerrou os punhos – O que pensam que farão com nosso planeta?
Netsuzon não pôde ser visto em um primeiro momento, então os três heróis atacaram os soldados gama que monitoravam o trabalho dos escravos. Espadas talharam vilões, cortaram correntes, algemas e grilhões. Haruto emitiu alguns palavrões enquanto libertava aquelas pessoas.
Surgiram dois monstros que se identificaram como Garagon e Tsuragoron. Um tinha trombas, grandes orelhas e aspecto de elefante, enquanto o outro lembrava uma espécie de dragão, com asas coriáceas, garras e uma cauda gigantesca. Com eles, centenas de soldados Gama.
- Malditos, Jacohrangers!
- Saibam que essas pessoas que vocês libertaram serão capturadas novamente depois. A atitude de vocês foi completamente inútil.
A resposta dos heróis foi o disparo de suas pistolas, que nocauteou alguns soldados Gama. A massa de vilões avançou em desabalada carreira. E começou o morticínio.
O aço das lâminas nocauteava soldados Gama sem remorso, sem preocupação, sem hesitação. Os Jacohrangers estavam convictos da imperiosa necessidade da vitória. Não podiam sequer cogitar a possibilidade de derrota. Sua determinação era outra. Pois tinham visto, da forma mais clara possível, o que aconteceria ao povo da Terra se eles perdessem.
As pistolas disparavam em movimentos coordenados, estratégicos, reduzindo a cinzas os montes de soldados Gama. Restavam apenas os monstros, ou assim eles pensavam.
- Vejo que descobriram a localização de nossa futura capital! – era Netsuzon, chegando subitamente.
- Futura capital? – Takeshi tinha entendido o que aquilo significava, mas não podia aceitar.
- Sim, quando escravizarmos seu povo e iniciarmos a colonização de seu planeta, este local será nossa capital. Eis por que precisamos de um número considerável de trabalhadores. E eis por que vocês não irão resgatá-los.
- Maldito! Agora que já sabemos onde fica a localização de sua principal base de operações – era Takeshi – poderemos atacar vocês o tempo todo.
- Não temos planos de sairmos daqui, mesmo vocês conhecendo nossa “base de operações”. E isso pelo simples motivo de vocês não terem poder suficiente para nos vencer.
- Você fala demais – era Naomi.
As pistolas dispararam contra Netsuzon, que rechaçou o ataque com um gesto arcano. Vieram mais disparos, mais movimentos evasivos, e o vilão se mostrou invulnerável aos ataques à distância dos Jacohrangers.
Os dois monstros tomaram a dianteira e vieram batalhar com os Jacohrangers, enquanto Netsuzon pôs-se a supervisar o andamento do trabalho dos escravos. Os heróis se entreolharam, como que planejando alguma coisa.
E a batalha recomeçou.

***

Todas as tentativas de Keiko e Satoshi de ferir o inimigo misterioso falharam. Um campo de força intransponível protegia-o de qualquer ataque. Raios diversos foram disparados sem sucesso. Nem o ALPHA Cannon incompleto funcionou.
Das mãos do inimigo, surgiu um raio de cor lilás que envolveu os heróis.
- Estou perdendo minhas forças – era Satoshi, caindo prostrado no chão.
- Eu também.
- Essa é só uma parte do poder total do talismã. Lembrando que este é apenas o primeiro talismã. Se conseguirem unir todos, não haverá força no universo que possa se opor a vocês.
- Só queremos a paz na Terra – até mesmo falar se tornava difícil para Satoshi.
- Talvez seja o momento de irmos para o momento decisivo – o homem disse.
Satoshi e Keiko estavam cada vez mais próximos da inconsciência.

NO PRÓXIMO CAPÍTULO DE JACOHRANGERS:

As batalhas seguem. Keiko adquire o poder do primeiro talismã. Mas Netsuzon continua capturando escravos. Não percam no próximo domingo:


EPISÓDIO 08 – PROTEJAM A LIBERDADE DO POVO DA TERRA!

Nenhum comentário:

Postar um comentário