Jacohrangers

Jacohrangers

sábado, 14 de fevereiro de 2015

EPISÓDIO 13 - CONTAGEM REGRESSIVA PARA A DEVASTAÇÃO!

EPISÓDIO 13 – CONTAGEM REGRESSIVA PARA A DEVASTAÇÃO

消滅への秒読み

- Ela está viva. E isto precisava ter acontecido. Espero que entendam.
A voz do Príncipe ALPHA era tão fria quanto os arrepios que tinham subido pela espinha dos heróis. Não havia inflexão. Não havia sentimentos. Ele tinha apenas e tão somente dito o que precisava ser dito. As consequências não importavam.
- Você é um miserável! – Satoshi disse, espada em punho, totalmente pronto para lutar – Atacou Keiko porque sabia que ela tem o segundo talismã. Se nós não tivéssemos chegado, você a teria matado, não teria? Para quê? Roubaria o talismã dela? Ou o destruiria? Não quer que tenhamos nossa própria fonte de poder, não é? Quer que sempre dependamos de você e do seu império maldito, não é verdade?
- Jacohrangers, segurem seu amigo Satoshi – o Príncipe disse – Ele não sabe o que está dizendo e pode acabar fazendo alguma bobagem.
- Onde pensa que vai? – o ALPHA Red se dirigiu a seu líder – Você vai lutar comigo – e segurou o braço do Príncipe, que se desvencilhou com violência.
Takeshi fez menção de ir separá-los, mas Haruto o deteve. Naomi apenas respirou fundo. As coisas nunca tinham ficado tão difíceis para os Jacohrangers. Seria aquele o fim? Um confronto entre eles?
A espada do ALPHA Red rasgou o vazio, sequer sendo capaz de ver o movimento do Príncipe. O monarca invasor reapareceu atrás de Satoshi desferindo um violento soco em suas costas. O Jacohranger foi ao chão. Naomi fez menção de ir separá-los, mas Haruto não deixou. Trocaram mais alguns golpes, sempre com o ALPHA Red levando a pior.
- Parem! Não devemos lutar uns contra os outros. Somos todos Jacohrangers!
O Príncipe ALPHA desferiu um soco violento em Satoshi, fazendo-o voar longe.
- O que Naomi disse faz todo o sentido do mundo – o monarca disse – Precisamos pensar no que fazer agora que não temos mais uma base de operações. Ou melhor: pensar em para onde ir.
- O que você precisa é morrer! – o ALPHA Red gritou, lançando-se em uma investida, com a guarda aberta – Morra, Príncipe de merda.
Tudo aconteceu muito rápido. O monarca esquivou-se com velocidade sobre-humana. Golpeou Satoshi com o soco mais forte que qualquer Jacohranger já tinha presenciado. Segurou o ALPHA Red pelo pescoço, visivelmente irritado com tudo aquilo.
- Você é burro, Satoshi? Você é burro ou está se fingindo? Vai querer me jogar contra os outros Jacohrangers até quando? – e desferiu um chute que o atirou longe.
Caminhou calmamente em direção ao corpo caído dele. Os demais Jacohrangers nada faziam, nada diziam. Keiko seguia desmaiada e ferida, mas nenhum deles fez menção de ir acudi-la. Estavam todos atordoados.
- Acha que eu não sei que você queria que os Jacohrangers acreditassem que eu ameacei matar seus pais para que você entrasse no grupo? – o Príncipe gritou, chutando o corpo caído de Satoshi – Acha que eu não percebia que você criava intrigas? Eu posso ler mentes, seu idiota! Cada vez que você me xingava em pensamento, eu notava. Imbecil! – e desferiu mais chutes.
- Que história é essa sobre os pais do Satoshi? – Naomi perguntou se aproximando assustada. Foi ignorada.
- Por que acha que ataquei Keiko, seu burro? Você se acha tão inteligente e não percebeu o óbvio? Não percebeu que ela podia ter usado o poder do segundo talismã e impedido que o ALPHA Oh fosse destruído?
Haruto, Takeshi e Naomi estavam atônitos, sem sequer saber o que perguntas. Muito embora fosse quase certo que o Príncipe não lhes responderia nada. Veio então a frase mais importante.
- Não percebeu que eu ataquei Keiko porque ela estava mentalmente dominada por Netsuzon?

***

Satoshi e Keiko novamente conscientes, ainda que terrivelmente feridos. As explicações tinham sido dadas em clima fúnebre. Apesar dos vários erros cometidos por todos, ninguém se desculpou. Ninguém se lamentou. Não tinham tempo para aquilo.
- O que acontece agora? – Keiko perguntou, sem saber exatamente se o fez querendo uma resposta do Príncipe ALPHA ou do destino.
- A primeira coisa é encontrar um lugar – Takeshi arriscou – Não dá pra ficar ao ar livre, dormir ao relento.
- E também não dá pra viver fugindo das pessoas – Naomi complementou – Ainda mais quando são as pessoas que nós juramos que iriamos proteger.
- Nossa situação não é fácil – Satoshi disse – Mas nós temos o poder de dois talismãs. Se os usarmos ao máximo, talvez, Netsuzon possa ser vencido.
O ALPHA Red disse aquilo olhando para o Príncipe. Esperava dele uma resposta, quem sabe uma confirmação positiva. Algo tipo sim, agora que todos vão lutar juntos, há uma chance de vencerem Netsuzon. Mas não houve resposta.
Subitamente, um barulho de explosões. Viraram-se assustados e viram um monstro gigante. Imenso, com aspecto de ave, atacando Brazilian Tokyo.
- Está atacando os bairros que já se renderam. Uma forma de mostrar que quem se rendeu não tem mais para onde voltar. Que a escravidão será eterna.
- Como sabe disso, Príncipe? – Satoshi questionou.
- É a forma de agir do meu povo. Já conquistamos outros planetas agindo assim. O próximo alvo devem ser as pessoas que ainda não se renderam. Netsuzon não vai se contentar em forçar as pessoas a se renderem privando-as de seus recursos. Vai fazê-lo pelo medo. Ele precisa de mais escravos. E isso só pode significar uma coisa...
- Não importa o que signifique – Takeshi disse – Vamos lutar.
- O que isso significa, Príncipe? – Naomi perguntou.
- Significa que mais membros da Família Imperial ALPHA estão chegando à Terra. Inclusive, meu pai.

***

- Não temos como vencer se não tivermos um robô gigante – Haruto disse.
- Satoshi e Keiko, vocês devem fazer o possível para deter o monstro usando o poder dos talismãs. Haruto, Takeshi e Naomi, vocês virão comigo. Vamos atrás de um novo poder. Vocês disseram que não queriam ser dependentes do poder que vem do meu povo. Pois bem, o poder que buscaremos é um poder oriundo do planeta de vocês.
- Poder oriundo do nosso planeta? – Haruto não entendeu.
- Não temos tempo a perder. Vamos!
Os três partiram com o Príncipe. Satoshi e Keiko correram até onde o Monstro estava.
- ALPHA Change.
Foram necessários poucos minutos. O bairro que estava sendo atacado era residencial, ainda que estivesse totalmente desabitado. Vidas não se perdiam – o prejuízo seria meramente material. Mas, um dia, aquelas famílias voltariam para seus lares. E aqueles lares teriam que ainda estar lá.
- Monstro maldito! Venha nos enfrentar! – o ALPHA Red gritou.
O ser maligno os viu e disparou um ataque de imensas penas de fogo. A criatura era uma espécie de ave colossal capaz de entrar em combustão. Era um milagre a cidade inteira não estar em chamas ainda.
- Hora de usar o poder dos talismãs com força máxima! – a ALPHA Pink gritou.
- Vamos!
Um brilho imenso surgiu, cegando o monstro. Os heróis, mesmo feridos, saltaram, as espadas poderosamente envoltas por uma energia sagrada emitida pelos talismãs. Rasgaram o ombro do monstro, que os repeliu cuspindo fogo. Os dois Jacohrangers se viram obrigados a voltar ao chão, onde foram alvo de mais ataques.
Pareciam mais ágeis, pois puderam se desviar sem problemas. E as explosões seguiam, com o monstro desferindo toda a sorte de ataques, e os dois heróis aguardando o momento correto de atacar novamente.
Em dado momento, Satoshi e Keiko se separaram, atacando cada um por um lado, confundindo o inimigo. As espadas se cravaram no pescoço do monstro, que ainda teve forças para agarrá-los, cada um em uma mão.
- Keiko!!!!!!!!!!!!!!!

NO PRÓXIMO EPISÓDIO DE JACOHRANGERS:

A batalha de Satoshi e Keiko se torna desesperadora. O Príncipe ALPHA e os outros encontram uma nova esperança. Talvez agora, os Jacohrangers possam contra-atacar. Não percam no próximo domingo:


EPISÓDIO 14 – A ESPERANÇA QUE VEM DO CORAÇÃO DA TERRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário